Da Série Conselhos Sobre Coisas que Acontecem – II

Porque acontecem, e acontecem mesmo, comigo, contigo, com a Luana Piovani…

2 – Primeiro encontro. Variações mil. Cinema e jantar. Cinema e sorvete. Cinema e pizza. Cinema e sushi. Cinema e Habib´s, que seja.

Ou barzinho. Ou restaurante fino. Ou pastelaria chinesa.

Anyway, de qualquer maneira, primeiro encontro geralmente envolve sair pra comer. Ou vc já saiu, tipo, pra um museu, no primeiro encontro? Ou pra uma floresta, pra um consultório médico… Não,né? E, mesmo que tenha ido a um museu no primeiro encontro – aaaaaargh, que merda de primeiro encontro, hein? – DUVIDOOO que não tenham tomado um café depois. Que seja um cafezinho. Um mísero café com um único pão de queijo filho de uma puta solteira. Mas tem que rolar.

Porque não tem papo se vocês não estiverem à mesa, entende? Eu sei que você entende. Todo mundo entende. Acontece com todo mundo. Mesmo aquelas pessoas cujo primeiro encontro já tenha acontecido num motel, pra poupar experiências; até elas pedem um prato depois de trepar a noite toda, vamos combinar.

Acontece que o primeiro encontro é uma armadilha cruel. Crudelíssima. Nosso corpo é um campo minado, preparado pra explodir e dar errado nas piores horas.E esse explodir pode tanto ser literal, como um peido, quanto ilustrativo, figurando, por exemplo, uma situação muito ruim e dificilmente contornável.

Vou contar um pequeno episódio que me aconteceu há uns 8 anos.

Eu trabalhava no Document Controll de uma multinacional conhecidísseeeemaaaa… Aqui no Rio, no centro.

Meu trabalho, além de cuidar da documentação em si, era servir de intérprete em algumas reuniões. Não sou formada em inglês e nem nada, mas é que eram chineses, franceses e dinamarqueses falando com brasileiros… Tem noção do que é isso, gente? Traduzir aquelas reuniões era quase como jogar na MegaSena, cara. Quanto mais gente tentasse, mais CHANCES a gente tinha de conseguir traduzir.

As reuniões começavam com todo mundo normal e geralmente terminavam com todo mundo bufando de raiva; os brasileiros irados por não entender nada e os chineses bufando de ódio por não serem entendidos. No meio, nós, meros intérpretes, tomando bala de tudo que era lado. Se a expressão “cu na reta” fosse literal, eu teria, hoje, um bambolê, de tanto que comiam de esporro os cus dos que tavam na reta, naquelas reuniões.

Até um belo dia, aparentemente normal. Cheguei no trabalho, fiz minhas coisas até meio-dia, saí pra almoçar.

Almocinho normal, arroz, feijão, franguinho grelhado e salada.

Cheguei atrasada, fui correndo traduzir duas reuinões seguidas do povo de Cingapura com o povo carioca.

Mas, para minha surpresa, aquele dia estavam todos smooooth… macios como Mc Nuggets. Só sorrisos. Do começo ao fim da reunião.

Eu fiuei tão feliz que eu era só sorrisos tb. Os chineses se despediram SORRINDO. E eu não lembro do acordo em questão ter sido fechado, mas estavam todos muuuuito felizes.

E eu tb.

Até entrar no banheiro, 3 horas e duas reuniões depois do almoço.

Olho no espelho e vejo um IMENSO pedaço de ALFACE no meu dente da frente.

¬¬ Lógico que estavam rindo.

E isso pq nem era meu primeiro encontro com ninguém, hein?

Após aquele dia, e de alguns outros micos em algumas outras ocasiões, reuni todas essas regras num manual mental pra tentar não pagar mico.

Com relação ao primeiro encontro:

O primeiro encontro tem uma série de regras. Não peide, não arrote. Não fale dos ex, não fale sobre casamento. Não pergunte a ficha criminal e nem comente nada sobre como é ser interna da Polinter ou ex-interno da Febem; não fale nada sobre seu nome no SPC ou Serasa, não peça cheque emprestado.

Não use lingerie velha. Mesmo se você achar que não vai dar… Vc não sabe o grau de persuasão do indivíduo, então não dê bobeira. Depilar é sempre bom (falou alguém que tá com a perna mais peluda que o Maradona);

NÃO COMA RUFFLES CEBOLA E SALSA.

NÃO COMA AMENDOIM COM CASCA.

CUIDADO COM O ORÉGANO DA PIZZA.

– Aliás, NÃO COMA. Nada. Além do perigo de ficar coisa no dente e do mico absurdo de ter o peguete tentando avisar que tem algo “aqui, mais pra direita, mais pro meio”, OU NÃO DIZENDO NADA, o que é pior; existe o perigo de dar vontade de peidar e, todos sabemos, é TERRÍVEL passar duas horas com um maldito peido encravado logo no primeiro encontro. E não adianta fazer essa cara de Sandy vendo pornô de surpresa, todo mundo MESMO já passou por situações de peido encravado. Todo mundo tem cu, porra. Então, não coma (a comida, não o cu… o cu é escolha pessoal).Revire no prato, peça uma água… Mas não coma.

E nunca, mas nunquinha, peça salada com folhas.

ataque copia

Anúncios