Querido Diário;

Ontem foi um dia interessante. Parece que alguém poderoso lá em cima acordou e pensou: “Hoje eu vou sacanear essa menina! Hahaha! Hoje ela me paga por ter que salvá-la tantas e tantas vezes de carros, penhascos, assaltantes, malucos… Hahahaha! Vamos começar!”

E aí começou.

Eu estava com sono de manhã, querido Diário; isso é normal. Eu vesti Isabela, arrumei a mochila dela, coloquei meu maiô (é uma derrota falar MAIÔ, né?) de treino, arrumei minha bolsa pra natação, coloquei um chinelo, chamei Isabela, peguei as chaves, apaguei as luzes, peguei minha bolsa e saí.

Quando apertei o botão do elevador, notei que minha filhinha, de três anos, olhava pra mim com uma expressão estranha. Me deu uma mescla de ternura e compaixão, quase derreti ali!

Agachei e perguntei, toda amorosa:

“- Que foi, meu amor?! Por que vc está olhando assim pra mamãe?”

E ela me respondeu:

“- Mamãe… Gucê vai de maiô na rúuuuuua???”

Olhei pra mim mesma e sim, eu estava de maiô. Maiô, bolsa e havaianas. GRAZADEUS eu estava com minha filha, pq, se fosse sem ela, eu só teria percebido o erro ao passar pelo porteiro. Deus é mais. Deus é dez. Deus deve ter dado umas boas gargalhadas.

Entrei, me vesti e saímos de novo.

Deixei a cria na salinha dela e segui para a natação.

Aqueci, pulei que nem uma corna perneta, alonguei mais que o ET do Panamá, estiquei os braços pra trás, pra cima, pros lados… Agachei e estiquei as pernas, mudei de posição, alonguei, alonguei…

Tomei uma chuveirada, caí na piscina, nadei, nadei, nadei, nadei… Cheguei na Nicarágua nadando, se for contar a “kilometragem” da coisa. Nadei mais que refugiado cubano chegando em Miami, imaginando o Jon Secada e a Glória Stefan e todos aqueles conterrâneos que se deram bem.

Daí, querido Diário, como eu faltei segunda-feira, eu decidi, assim, do nada, emendar na aula de hidroginástica dos velhinhos, pra dar uma turbinada no exercício. Pq merda pouca é bobagem.

Vc já fez hidroginástica, querido Diário? Não, né? Claro, vc não passa de um caderno de papel.

Tem uns exercícios bizarros, Q.D…. BIZAAAAAAAARROS…

Se imagine deitado flutuando apoiado num espaguete preso nos seus sovacos, fazendo movimentos de abre e fecha com as pernas retas, para as laterais. Imaginou? Pois saiba, Q.D., que na prática é muito mais difícil do que nessa imagenzinha mental furreca que vc fez da cena.  Não sei como os velhinhos fazem isso e ficam no lugar. Pq, quando eu fui tentar, o resultado foi que eu parecia um girocóptero desgovernado pronto pra atacar sexualmente qualquer velhinho que entrasse na minha frente. Eu não consegui fazer UM exercício parada; eu flutuei desgovernada em TODOS.

E eu terminei a aula, querido Diário. E saí da piscina, e alonguei horrores.

E cheguei no vestiário cheio de velhinhas pós-hidroginástica. E tirei a toalha que me envolvia. E abaixei pra pegar minha bolsa. E ouvi de duas velhinhas, ao mesmo tempo:

“Meu amoooor, seu maiô está descosturado!!”

Porque velhinha nunca fala “furado”. Furo, pra elas, é algo diferente de “descosturado”. Pra mim, é tudo a mesma coisa.

Na prática, quando eu olhei minha bunda no espelho, eu vi que meu maiô estava era com um baita rombo no MEIO da bunda. Dando uma visão perfeita do meu rego pra quem quisesse ver. Imagina quem viu enquanto eu bancava o girocóptero, huh?

Oh, céus. Não sei se terei coragem de voltar lá.

Voltei pra casa, tuitei, cumpri com minhas obrigações de leiê: varri, lavei, arrumei (tudo meia boca, mas ninguém pode dizer que não fiz) e, pra finalizar, fui jogar o lixo na lixeira do corredor.

De calça jeans dobrada até o joelho, sutiã e saco cheio de lixo na mão eu estava; abri a porta, dei de cara com a vizinha centenária bipolar e evangélica que passa criolina na minha porta todo santo sábado, sabe Deus porque; dei olá; ela desceu os olhos pras minhas peitcholas; eu me liguei que tava sem camisa e, da mesma maneira que abri a porta, fechei. Na mesma posição. Sem nem piscar um olho.

Linda, a terceira bola fora do dia.

Aí desci, fui na farmácia  e, me expliquem, POR QUE DIABOS os atendentes ainda olham FEIO toda vez que vc vai pagar uma caixinha de OB SUPER? Caralho, é de sacanagem???? Não é possível que em pleno 2009 nego ainda olhe uma caixinha de absorvente interno com cara de “ih, essa é arrombada!”! Porra! Que merda!

(E alguém me explica o motivo de eu SEMPRE explicar, enquanto passo o cartão, que “hehe, é que meu fluxo é muito intenso…”??????

Realmente. Eu sou daquelas que explica as coisas tentando melhorar as situações. Besta, eu, pq é mais que sabido que pisar na merda, só espalha.)

Mas meu Djízâs, alguém explica pros balconistas de farmácia que o tamanho do OB não tem NADA a ver com o tamanho da piriquita, mas sim com a capacidade de absorção??? Não que eu esteja ligando pro que pensam do tamanho da minha periguete junior, afinal, hehe, baby, tem umas coisas que não tem nem o que dizer, claro; mas me incomoda profundamente a ignorância dos caras. Porra. De repente faz todo o sentido do mundo a Carol Gretchen fazer o “Fiz Pornô mas Sou Virgem”ou algo assim – tem gente que REALMENTE tem uns fios trocados lá dentro da caixola e inverte umas informações vitais, cara. Sério. As mesmas pessoas que acreditam que OB define tamanho de xereca, certamente concordam com a idéia de que uma menina que já fez sexo anal em frente às câmeras continua virgem, contanto que nenhum pênis tenha penetrado a vagina. Ou um OB Super.

Depois disso, estava sentada no pátio da escola, esperando a hora de pegar minha filha. Sem lente e sem óculos. Sou míope como uma porta, by the way.

Eis que me chega um professor beeeem jovem, lá de longe, e começa a apontar e a dizer que conhece meu irmão, que me conhece desde pequena e blablablá… E eu respondendo, amarradíssima; convencida de que ele devia ser algum amigo de infância que eu só não reconhecera pq estava longe e eu não estava enxergando… Até me dar conta que ele estava falando com a menina da frente. O que fazia muito mais sentido, claro. Era muito mais normal ele conhecer desde pequena uma menina de 12 do que uma mulher de 27; afinal, se o cara tinha 23 era muito.

Morri de vergonha o resto da tarde, peguei minha filha, vim pra casa e cavei um buraco nos travesseiros pra enfiar minha cara.

Ai, querido Diário! Que dia vergonhosamente deplorável!

Tomara que amanhã seja melhor.

Um beijo.

Carol.

Anúncios

Um Breve Conto de Auto Destruição

Olá, meu povo! Feriadão acabando e eu voltado pra cá.

Fim de semana de sol, na humilde opinião da que vos escreve, é pra ser CURTIDOOOOO muito, na real life, sabem? Hahahahaouauha!

Então, estou vendo que um monte de gente tá vindo pra cá direto do Twitter. E, decididamente, preciso comentar um ocorrido twittístico que não deve ter passado em branco pra maioria de vocês, já que duas ou três pessoas me perguntaram o que aconteceu.

Então eu vou contar aqui. Lá vai.

No último post, sobre os bairros paulistanos, um recado foi deixado em nome de FULANA, direcionado a uma figura auto-denominada Crovis Limone, que postou um comentário sobre o texto.

O comentário do limão foi o seguinte:

“ahahahahah, você VIAJOU bonito haahahahahah
Esqueceu de mencionar Santo Amaro, que antes colonizado por alemães, virou reduto de nordestinos. Pior ainda é o LARGO 13 DE MAIO, com jabás pendurados nas portas repletos de moscas de varejeira, paraíbas mijando na rua a céu aberto e camelôs. O Largo 13 de maio, seguindo a sua analogia, seria um bairro de ” libertação” por homenagear a data da abolição da escravatura. O que vemos ali é uma ABOLIÇÃO sim, mas de higiene.
Fora isso tem o LARGO DA BATATA em Pinheiros, semelhante ao LARGO 13, mas que vende Backed Potatoes com carne seca, farinha e jerimum.
Há um engano: São Paulo não foi engolido pelos italianos mijões e sim os italianos mijões que foram engolidos pelos nordestinos invasores ahahahahahah

Beijos”

E o comentário da Fulana:

“crovislimone,

Eu realmente gostaria saber o que o povo do sul e sudeste tem contra os nordestinos… Eles são tão brasileiros e gente quanto o retso do país. Normalmente encontro nordestinos mais inteligentes e muito bem colocados para criticar paulista ou cariocas que o contrário…

Saber tirar sarro de paulistas, cariocas ou gaúchos também exige inteligência!
Isso sim é engraçado, esse carioca é dez!!!

http://www.youtube.com/watch?v=K_Iv_u9-lPo&feature=related

(início no minuto 3:38)”

Diante do comentário da Fulana – por sinal, se quiser se manifestar, será boníssimamente recebida; NESTE blog, contanto que seja mantido o nível de educação que é cabível para um bom relacionamento virtual, toda polêmica cabível é vista como SAUDÁVEL -, e crendo que se tratava de “um sarro saudável” por parte do carinha que escreveu o primeiro comentário (forçando a barra e fazendo vista grossa, eu sei; querendo ver o melhor da pessoa – que não existia, no caso), fui eu lá, serelepe e saltitante, pelo twitter, avisar pra ele que tinha recado aqui.

“@carolkalil pOR FALLLLLARRR… Senhor @crovislimone… Um comentário destinado ao senhor no meu bRRRRog,senhor! E muito coerente! #chupaessamanga!”

E qual não foi meu susto ao ler a resposta:

crovislimone@carolkalil Nem vou me dar ao trabalho de responder. Eles estragaram São Paulo e ponto final. Fui12:24 AM Sep 6th from web in reply to carolkalil

Sabe quando o seu queixo vai no chão? Pois é, o meu foi.

Preconceito existe, e todo mundo tem um pouco de idéia PRÉ-CONCEBIDA sobre muitas coisas, querendo ou não – você, eu, o cara da banca de jornal, o Luciano Juck, a Angelina Jolie… Mas um preconceito acirrado e definitivo como essa afirmação, realmente, eu, Carolina, não estou acostumada a ver.

Você afirmar uma coisa dessas: “Eles (os nordestinos) estragaram São Paulo e ponto final” em PLENO TWITTER é uma coisa incrivelmente macabra, a meu ver. É uma coisa burra, sem-noção e, especialmente, é uma estupidez do cacete pra quem deseja ser um personagem crítico na internet.

Não que eu seja adepta de preconceitos velados ou alguma coisa parecida, longe disso, mas eu admito que existem, sim, esteriótipos, e que às vezes é complicado lidar com eles.

Vou falar de exemplos que me cabem, porque, no fim das contas, só posso falar de mim.

Não é preciso me conhecer há anos e pessoalmente, não é preciso me conhecer há mais de três minutos, para, tendo você lido algum texto meu, saber que eu faço piadas, brinco e “zôo” com as coisas. Não tem nenhum mistério e não é necessário ser um grande Ás da inteligência mundial para entender, por exemplo, que o texto dos paulistas é uma grandessíssima piada. Vide a quantidade de acessos e comentários DE PAULISTAS  que eu recebi devido ao texto.

Usei, para o texto, o esteriótipo do paulista que nos vêm a cabeça qdo pensamos em São Paulo. Assim como usei, na descrição no texto e na resposta ao senhor coisinha nos comentários, o esteriótipo do Rio, que é uma bossa-nova-Tony-Ramos-bala-perdida. E usei tb o jabá com gerimun (j?), que é esteriótipo nordestino.

Mas eu acho totalmente diferente vc brincar com as idéias pré-concebidas e escrotas que circulam por aí e vc AFIRMAR, com todas as letras, que é preconceituoso e ponto final. E se achar com a razão! Hahahauohaoha!

Pra dar um desfecho mais rápido, explicar e me mandar, que tenho reunião hj, aí vão as respostas:

crovislimone@carolkalil Não gosto de pessoas que se fazem de vítima o tempo todo. Estou de saco cheio de hipocrisia.

crovislimone@carolkalil Se é preconceito ou não vai da interpretação de cada um. Sou paulista, branco e também sofro centenas de preconceitos diários

crovislimone@carolkalil Nem por isso vou ficar aí me fazendo de coitado.

crovislimone@carolkalil Os caras ve de lá, tentam levar vantagem em cima da gente e ainda somos nós os preconceituosos? ahahahahahahahahha

crovislimone@carolkalil Me chamam de paulista branquelo, italiano mijão e sou eu o preconceitoso? vão pra puta que pariu e divirtam-se. Bjs”

~carolkalil @crovislimone – Eu não vou te responder. 1° pq, quer discutir, discute com a Fulana lá nos comentários… Deixo o blog aberto pra isso.

carolkalil 2° pq eu não chamei ninguém de “branquelo” e vc tá viajando… e provavelmente sabe disso. @crovislimone

arolkalil 3° pq fiz piada com italiano mijão, q vc tirou totalmente do contexto e lascou um #carapuçaservindofeelings, parece; @crovislimone

carolkalil assim como fiz piada com portugueses tarados que colonizaram o Rio e ñ o fiz de maneira pejorativa. Vc sabe. @crovislimone

carolkalil Agora, a SUA cabeça e os seus preconceitos são SEUS, não meus e nem de ninguém. Mas toma cuidado com o teu discurso, @crovislimone

carolkalil pq ele tá extremamente arrogante e pejorativo. E ignorante. But than again, that´s your problem. @crovislimone

… E o resto das respostas dele, que não vou colar aqui pq não foram endereçadas a mim, já tendo o lindão me excluído e tal, e estão sem @carolkalil, mas qualquer um que entre no perfil poderá deliciar-se lendo o barraquinho.


Mas pisou num buraco sem fundo, cara. Precisa URGENTEMENTE de um tutorialzinho simples, pra fraca compreensão de texto não atrapalhar, explicando alguns tópicos básicos de boa-educação e comportamento no referente a internet – e especialmente quando se vive na tentativa eterna e frustrada de fazer um personagem crescer. Perdeu todos os seguidores que possam ter algum vínculo com nordestinos do nada, por conta dessa estupidez.

Isso pra não entrar no mérito da ignorância absurda das informações e do preconceito em si, né…

Mas tenho que dizer, as respostas são como música pros meus ouvidos. São totalmente sem noção, mostram que ele tem um SÉRIO problema de interpretação de texto, já que confundiu uma porrada de informações e pedaços da crônica e montou de novo com um toque claramente perturbado e paranóico e, entre outras coisas, me chamam de “maloqueira”. Hauhuahuoauoauo! Acho lindo isso, porque sempre que uma pessoa não tem capacidade de dialogar utilizando a retórica de maneira eficaz, ela cai assim, pra um palavreado e uma discussão tão ridícula… O equivalente “adulto” ao “lalalá-não-tô-te-ouvindo” das crianças. E um TAHNK GOD enorme ao comentário da Fulana, pq sem ele o dito-cujo estaria perfeitamente camuflado e quietinho no meu Twitter.

E aí, qdo descobrisse que sou filha de CEARENSE filha de LIBANESES com GAÚCHO filho de ARGENTINO  e BRASILEIRO de Jacarepaguá genuíno, haouaouauohao, mulher de CHILENO e por aí vai, ia acontecer uma explosão em São Paulo – combustão espontânea dele mesmo, causada pelo próprio ódio.

Hahahaohuouaouoauoa!


Pois bem, foi isso que aconteceu, gente!

Beijos, povo!