Perguntas Idiotas, Tolerância Zero

Post inspirado no Tweet do Pizzolato:

@rpizzolatoO que a gente responde quando alguem te avista pelos corredores de seu local de trabalho e lança a ‘pergunta”: “Veio mais cedo, hoje??””

Dando origem ao MANUAL DE RESPOSTAS PARA PERGUNTAS IDIOTAS – TOLERÂNCIA ZERO!

Desenvolvido por Carolina Kalil e amigos.

Pergunta: “Veio mais cedo, hoje?”

Resposta: “Não. Vc tá vendo meu espectro. Eu, na verdade, tô sentadinho no alto daquele poste. Olha lá. Eu balançando as perninhas.”

.

P.: “Cortou o cabelo?”

R.:”Não. Tirei pra lavar.”

“Não. Os fios encolheram com a água.”

“Não. Foi a cabeça do papai que cresceu.” HAHAHHAAHOAUHOUAUOAH!

.

(o cara com o cigarro na mão)

P.: “Vc fuma?”

R.: “Não. Tenho mania de comprar cigarros, acender, deixar um pouco e apagar. Todo dia. Toda hora. Faz um bem danado.”

.

(no posto de gasolina, parado ao lado da bomba de GASOLINA)

P.: “Gasolina, dona?”

R.: “Não. Enche o tanque com café, por favor!”

.

(de @renatorecife, muito boa!)

P.: “Tá dormindo?”

R.: “Não. Tô de olhos fechados pra economizar a vista.” -> HAHAOHAHAOUHAOHOHAUA

.

(na central de trocas de uma loja de departamentos. Com uma calça e uma nota fiscal na mão.)

P.: “O que posso fazer por você?”

R.:” …. Uma massagem. Bem gostosa. Nas minhas costas.”

.

(no táxi, chegando ao destino)

P.: “Quer que eu pare aqui?”

R.:” Não, imagina. Continua andando e acelera um pouquinho, que eu adoro saltar de carros em movimento.”

.

(no endocrinologista. E eu juro que acontecem coisas assim.)

P.: “Então, qual é o seu problema?”

R.: “Mmm. Eu queria engordar uns 5kg pra arredondar 30 de sobrepeso.”

.

(depois de um acidente, em que houve sangue. Só isso. Vc está sangrando.)

P.:”Tá doendo?”

R.:” Não. Adoro fazer esta cara de desespero por nada.”

.

P.: “Pintou o cabelo?”

R.: “Não. Eu rezei muito ontem, pedi muito a Deus, e ele mudou de cor sozinho.”

.

(dentro de uma loja de roupas infantis, após perguntar por vestidinho tamanho 3)

P.: “É pra criança?”

R.: “Não. É que meu pai é um anão travesti e pediu pra eu comprar pra ele.”

.

(a uma pessoa obviamente gripada, espirrando horrores)

P.: “Ihh, tá gripada?”

R.: “Não. Tô com alergia a você.”

.

(Essa é do Pizzolato, tb. Pessoa preenchendo formulário de dados: nome, identidade, endereço, cpf…)

P.: “O meu nome eu coloco onde? Aqui onde diz NOME???”

R.: “Não, benzinho. O seu nome você coloca onde está escrito CPF. Na lacuna que diz NOME, vc escreve MICHAEL JACKSON JUNIOR.”

.

P.:”Nossa! Como você emagreceu! Tá fazendo dieta, exercício?”

R.: “Não. Tô comendo o dobro de antes e agora só ando de cadeira de rodas. Tô emagrecendo com idéias positivas!”

.

P.: “Você veio?!”

R.: “Não, eu não vim. Eu sou uma ilusão da sua mente. Eu sou uma voz na sua cabeça. E você… Bem, cuidado. Você está virando o Tarso.”

.

(parado em frente ao elevador)

P.:”Tá esperando o elevador?”

R.: “Não, sou puta e aqui é meu ponto. Cai fora.”

.

___________

Mais perguntas e respostas durante o dia!

Anúncios

Quem Sou Eu?

Tem alguém curioso pra saber alguma coisa sobre mim? hahahaouhahua!

Qualquer coisa, perfume, shampoo, sabonete, o que eu acho do Sarney…

.. Sei lá!

Eu tô totalmente sem inspiração pra escrever, façam perguntas! Aí as idéias surgem!

E, antes que o @pesanervos venha dizer que isso são #subcelebfeelings, HOAUHUHAOUAOUHAOU, eu já aviso: NÃO SÃO NÃAAOOO! São #preguiçadepensarfeelings, tá?

Vai que alguém, perguntando, me dá uma idéia?


hjvouassim29maio 064

E, visitantes fantasmas, comentem, porra! Hahahah!

——–

Opa, primeira pergunta:


Priscila Diz:
16/09/2009 às 12:03 PM e

Olá ! Pq vc fala tanto palavrão? Gostei dos teus textos, mas esse excesso de palavrões é um terror!

Respondendo: Priscila, eu sou assim. Eu falo muito palavrão, hahahaha! Acho terapêutico e não vejo nada demais; pra ser honesta, acho que em determinadas situações os palavrões podem conferir um tom cômico ao texto, e gosto disso! Quando eu não “posso” falar palavrão, eu seguro a onda… Mas como aqui eu não tenho compromisso de formatação de personagem com ninguém, posso falar à vontade, e aproveito! Hahahaouhaua! Não sei o motivo desse estigma dos palavrões, coitados… Os acho tão úteis…

Tem coisas que só palavrões expressam. Dizer “Ai, droga! Puxa vida!” e dizer “Caralhos alados cravejados de diamantes, que merda!” são duas coisas totalmente diferentes, não são? Hahoauah! O lance é que eu quase sempre estou mais pros caralhos alados, mesmo! Haouhoahoah!

(saindo, volto depois do treino!)