A Velhinha Erótica

Antes do post de hj, não resisti e tive que postar:

dado-dolabella-casando

HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

Meo Deooooos… A foto eu peguei do Kibeloco… HAHAHAHAHAHAHAHHA!

A Legenda que tava lá era: “Fala sério! Não tá com cara de quem depositou o milhão na poupança?”

A princípio, confesso, não entendi.

Podem me chamar de “loraburra”, o que for. Só não pode me chamar de ruiva.

Anyway. Depois de um árduo trabalho de Tico e Teco por uns cinqüenta minutos… Eis que começo a gargalhar do nada. HAHAHHAOAUHOUAHOHAUO!

Entendi!!! HAHAHOAUAHOHAUOHAUOHAHU!

Ai, ai… Muito boa, a foto e a legenda…

______________________________________________________

Agora sim, o Post.

Uma coisa que esqueci de contar ontem.

Fiz aula de girocópt, ops, de hidroginástica ontem, de novo. Pq antes de ontem eu não nadei, lembram?, então eu entro numas de pagar com sofrimento e tal. Me redime. Tipo aquele lance de “Anjos e Demônios”, das auto-chibatadas. Só que eu não me auto-flagelo daquela maneira. Eu tenho maneiras mais originais de me auto-punir: comendo como louca e depois me pesando. E, a julgar pelo meu peso, minha auto-punição vai de bem a melhor. Hahaouhaouhha!

Então, esse lance de usar esporte pra se redimir é uma nova na minha vida. Pq eu nunca consegui fazer isso por mais de um dia, mas agora estou fechando o primeiro mês de natação, já! E só não fui DUAS vezes, e nas duas foi por motivo de força maior, que foi filha dodói. Um marco na minha vida, essa natação.

Mas então, voltando.

Bruno tirou meu coro naquela porra de hidroginástica. Nego pensa que é mole, mas vai afundar aquelas paradas de isopor, amigo! É IMPOSSÍVEL! E eu não tô falando de afundar um isopor de cerveja cheio de gelo na piscina pra lavar não, meu filho; tô falando de uns pesinhos leves como a Cinthya Howllet fora d´água e pesados como Karla Fabiana dentro d´água. Quase um parto mexer com aquilo.

Anyway.

Terminei a aula, só fomos duas velhinhas, um velhinho e eu – pq ontem tava chovendo horrores e só foi o pessoal mais radical, baby . As velhinhas e eu nos encaminhamos ao vestiário.

Vale dizer que nos dias ensolarados umas trinta velhinhas comparecem felizes. E que, depois do término, no vestiário, elas tiram os maiôs e viseiras e toucas e tal e ficam conversando peladas, entre toalhas, cremes e calçolas pra todos os lados, exibindo e comentando marcas de biquini, de cesárea, de cirurgias, assim, como se tivessem 15 anos. Se vestindo devagar, entre um papo e outro. Umas pedindo ajuda às outras, pq, vc sabe, a flexibilidade já não é mais a mesma depois dos 50…

Não me sinto muito confortável ali. Confesso. Ver tanta velhinha de topless soa pouco natural pra mim. E eu trato de escapar e esperar do lado de fora até que elas tenham saído.

Pois bem, mas ontem, como dia especial de chuva e com poucos alunos, eu pensei que estaria a salvo.

Entrei e uns minutinhos depois entrou uma das senhoras.

Ela deve ter seus sessenta e poucos. E não está NADA conservada, por assim dizer. Só pra vcs terem noção da situação.

Estava lá eu, pegando minhas coisas, quando me dei conta que não havia levado sutiã e calcinha. O dia estava bem frio, e eu me peguei comentando em voz alta:

“- Aaaaaaai, putz, não trouxe sutiã! E agora? Maiô molhado…”

E a velhinha do meu lado direito, prestando mó atenção.

“- … Mó frio… Só se eu tirar o maiô. Mas aí fica difícil, pq não trouxe sutiã… Ah, não, sem calcinha e de calça eu até iria, mas sem sutiã não rola.”

Eu juro, tava mais PENSANDO ALTO, mesmo.

Por isso levei um susto tão enorme (mas tão enorme, que deixei cair todo o conteúdo da minha mini necessaire: OBês e etc.) quando a velhinha me respondeu:

“- Ahhh, já eu, prefiro o contrário! Não uso sutiã quase nunca, mas sem calcinha não vivo!”

O_O

Como asseeeem?

“- Olha, saí de casa sem sutiã. Só trouxe esse pq aqui no vestiário eu fico sem graça na hora de me vestir, as meninas sempre me olham torto quando não visto sutiã.”

Gente, eu tremia igual vara verde. Pedi a todos os santos, inclusive o @santoEvandro, praquela mulher parar de falar naquele exato instante. Tava vendo a hora em que ela ia me contar sobre a vida sexual dela e do marido, e isso é algo pra que a gente não tá preparado, né? Haja visto:

e você vai entender que é algo que nossos cérebros jovens não estão preparados pra alcançar. Argh. Não, não.

Voltando pra historinha. Rezei bastante. Mas não foi suficiente. Deus deve ter colocado na chamada em espera, pq deu tempo de ela me mostrar os seios… “Olha, eu quase não tenho! Pra que sutiã?”. Meu Djízâs. Eu quase podia ouvir o “Fur Elise” tocando ao fundo.

Mas consegui escapar e nada mais que isso aconteceu.

A propósito, ela realmente tinha peito pequeno… Mas na idade dela, não importa se vc tem peito enorme, pequeno ou não tem peito; vc TEM que usar sutiã.

Saí do vestiário ligeiramente torpe. Alguma coisa como a imagem daquele sutiã da Madonna, de metal pontiagudo, vestido na velhinha rondava minha mente.

E fui dar um presente pro Bruno, que estava orientando uma aluna.

“- Bruno. Tenho um segredo pra te contar. Sabe aquela sua aluna moreninha, baixinha, que tava do meu lado ainda agora na hidroginástica? Hum?”

“- Sei. Que que tem?”

“- Ela não usa sutiã.”

HAHAHAHAHAHAHAAHHAAH

Presentaço, não?

Acabei com a paz de um homem por no mínimo uns 15 dias! Hahahahaha!

Se vcs vissem a cara do Bruno…

Eu sei que ele JAMAIS vai esquecer isso, enquanto viver, e enquanto der aulas pra essa senhora tão… Erótica.

* Anônimo, retirei, viu? Fez sentido seu comentário, eu nem me liguei: a parada era MUITO velha,  eram milhares de papéis de bala, visa electron e por aí vai…  De antes da gravidez, pra ser mais exata, que foi a última vez que usei a necessaire em questão. Até pq eu preciso de fôlego pra nadar, brother!

Anúncios

15 Motivos para Toda Mulher ter um Melhor Amigo Gay

Uma das coisas mais divertidas que qualquer mulher pode fazer é ter uma amigo – de preferência, um melhor amigo – gay. Pode ser só “homo”, do tipo que só quebra o pescoço entre amigos; pode ser enrustido, do tipo que ainda não saiu do armário nem pra ele mesmo – mas todo mundo já percebeu; pode ser do tipo bicholeta-eta-eta, que é bicha, totalmente mona, nem aí pra nada; pode ser traveco; enfim, um amigo que goste de outros amigos.

Eu, como boa representante da espécie “mulher-extrovertida-loira-boca-suja” que sou, já tive amigos de todos os tipos citados acima. E um, em especial, meu melhor amigo, que é tudo acima ao mesmo tempo. Hahhahaha. Menos traveca. Quer dizer, entre 4 paredes, não sei. Mas fora, o Di faz o estilo gay executivo, adooooro.

E foi com ele que eu aprendi todas essas coisas abaixo, e foi morrendo de saudades e pensando desesperadamente nele que eu resolvi escrever um manualzeenho sobre o quanto ter um melhor amigo gay é vantajoso e maravilhoso para qualquer mulher que se preze!

1 – Já dizia minha vó: um amigo gay não vai dar em cima de vc. E vc não precisa ser uma mulher linda e maravilhosa pra sofrer com problemáticos amigos heterossexuais; basta que eles estejam carentes e vc de calcinha. Gays vêm automaticamente isentos deste problema. Desfile da calcinha, tome banho, mostre os peitos, se depile, faça O QUE QUISER, meu amor – ele não vai demonstrar NENHUMA reação fisiológica, se é que vc me entende. E o único feedback que ele pode demonstrar por te ver pelada é uma ligeira cara de repulsa e asco acompanhada de algum comentário do gênero: “Argh, como tem alguém no mundo que gosta dessa… Dessa… Lasanha viva???”, se referindo a sua genitália. É a paz no mundo.

2 – Ele também não vai dar em cima do seu namorado. Bem, pode ser até que dê, pq amigos gays têm um certo instinto protetor quanto às melhores amigas, e costumam, SIM, testar os namoradeenhos das protegidas… Mas isso não será um problema se o cara for hetero mesmo. O cara vai te contar. E o amigo tb. “Ele deu em cima de mim!”, “Eu dei em cima dele, ele não reagiu. Aprovado.” Se só o amigo contar e o cara não disser nada… Sai fora que essa faca corta pros dois lados. E o amigo vai contar assim: “Amor… Sai fora desse cara, vai. Ele não é pra vc. Furada na certa. E põe furo nisso.”

3 – Amigas bibas estão para nós, mulheres, assim como melhores amigos héteros, homens, estão um pro outro. Eles vão a jogos de futebol; nós e as bibas vamos a salões de beleza. Eles dão notas para mulheres gostosas que passam na rua; nós e as bibas damos notas para homens que passam em qualquer lugar. Eles falam de carros e fórmula 1, nós falamos de cabelo, maquiagem, Alinne Moraes, Bruno Gagliasso…

4 – Amigos gays são as únicAs amigAs que vão ouvir Michael Bublé com você, tomando Champagne e comendo morangos, rodopiando pela casa e NUNCA, mas NUNQUINHA, vão te chamar de brega por isso. Amigos héteros, namorados e maridos, nunca farão uma coisa dessas. Amigas mulheres dificilmente farão e, se fizerem, vai ser de má vontade.

5 – Nenhuma outra classe de amigo é capaz de combinar com você um personagem pra sair. “Hoje eu sou Rory Gilmore e vc é a Beyoncé, tá?”

6 – Só amigas bibas sabem de cór e salteado falas de seriados de TV.

7 – Amigas bibas não só te ligam pra avisar de promoções como, na sua impossibilidade de comparecer, se metem em plena Arezzo pra disputar a tapa com uma loira aguada a ultima sandália caramelo que vc tanto queria e que está com 70% de desconto…e te dão de presente!

8 – Não adianta: só gays sabem apreciar um bom jogo de xícaras ou canequinhas fashion e servir um maravilhoso café com um toque de amêndoas torradas em plena segunda ás 18h30 da tarde, só pra vocês dois se sentirem chiques em casa.

9 – Com quem mais seria possível tomar drinques como Alexander se até as amigas mulheres acham que isso é coisa de bicha?

10 – Com eles você pode brincar de cena de filme. Coisa que vc tenta fazer desde os onze anos com suas amigas, mas elas não curtem mais…

11 – Se você estiver gorda, eles vão dizer. Se a roupa não estiver combinando, eles vão dizer. Se o cabelo estiver feio, eles vão dizer. Acontece que se as respostas pra todas essas coisas forem “SIM, você está gorda, com a roupa feia e o cabelo horrível”, eles SABEM o que fazer. Leia-se: sabem que roupas vão te deixar mais magra e ressaltar os peitos da melhor maneira e sabem arrumar cabelo como ninguém.

12 – N-I-N-G-U-É-M é melhor pareceiro no UNIVERSO pra brincar de Mímica que um amigo bicha. Ninguém. O nome do filme pode ser “Hellraiser, Renascido do Inferno”, que ele VAI te passar de alguma maneira. E com um toque teatral que nem Ney Matogrosso é capaz de dar!

13 – Você só poderá cantar e dançar Britney Spears em frente ao espelho se for com um amigo bicha.

14 – Amigos gays acham o máximo ir pra cozinha com vc fazer uma receita complicadérrima de salada de endívias selvagens com rúcula do agreste, tomate cereja e queijo de cabra velha acompanhada de um arroz arbóreo ao molho de funghi tunghi minghi e carne de égua do deserto grelhada com paetês e alcaparras, e de sobremesa tiramissu de café javanês e chocolate belga… passar um dia inteiro na cozinha pra fazer isso, colocar uma mesa MARAVILHOSA com a baixela de prata e a louça da Lituânia… Só pra colocar a primeira garfada da salada na boca e praticamente vomitar no prato, deixar tudo de lado e ir pro sofá da sala comer o tiramissu direto da travessa vendo Friends. NÃO TEM PREÇO.

15 – E, pra terminar: só um amigo gay, e NINGUÉM mais no mundo, consegue te fazer rir como uma hiena em situações SURREAIS como, sei lá, TPM + término de namoro + demissão do emprego + oito kg a mais + morte de parente. JURO.

Aaaaaaaai, Diego Bacellaaaaaaar! Que saudaaaaaaaaaaaaade!!!!

Quem Sou Eu?

Tem alguém curioso pra saber alguma coisa sobre mim? hahahaouhahua!

Qualquer coisa, perfume, shampoo, sabonete, o que eu acho do Sarney…

.. Sei lá!

Eu tô totalmente sem inspiração pra escrever, façam perguntas! Aí as idéias surgem!

E, antes que o @pesanervos venha dizer que isso são #subcelebfeelings, HOAUHUHAOUAOUHAOU, eu já aviso: NÃO SÃO NÃAAOOO! São #preguiçadepensarfeelings, tá?

Vai que alguém, perguntando, me dá uma idéia?


hjvouassim29maio 064

E, visitantes fantasmas, comentem, porra! Hahahah!

——–

Opa, primeira pergunta:


Priscila Diz:
16/09/2009 às 12:03 PM e

Olá ! Pq vc fala tanto palavrão? Gostei dos teus textos, mas esse excesso de palavrões é um terror!

Respondendo: Priscila, eu sou assim. Eu falo muito palavrão, hahahaha! Acho terapêutico e não vejo nada demais; pra ser honesta, acho que em determinadas situações os palavrões podem conferir um tom cômico ao texto, e gosto disso! Quando eu não “posso” falar palavrão, eu seguro a onda… Mas como aqui eu não tenho compromisso de formatação de personagem com ninguém, posso falar à vontade, e aproveito! Hahahaouhaua! Não sei o motivo desse estigma dos palavrões, coitados… Os acho tão úteis…

Tem coisas que só palavrões expressam. Dizer “Ai, droga! Puxa vida!” e dizer “Caralhos alados cravejados de diamantes, que merda!” são duas coisas totalmente diferentes, não são? Hahoauah! O lance é que eu quase sempre estou mais pros caralhos alados, mesmo! Haouhoahoah!

(saindo, volto depois do treino!)

A Primeira Cena de Sexo a Gente Nunca Esquece.

Enquanto o Twitter sofria uma crise de identidade hacker hoje de tarde, se achando thechunchk.com; eu estava no Blog do Cróvis e achei isso:

livro_alemao1

Esse livro, saibam agora, não é novo… E sim, ele foi a primeira cena de sexo que eu vi na minha vida. Um tanto quanto traumatizante, não?

Lembro que devia ser o livro-polêmica de 1988, 89… Talvez até antes.

Só sei que uma vizinha minha, lá nos cafundós de Jacuecangacity, era psicóloga metida, naqueles tempos, a modernosa; e tinha um quartinho cheio de brinquedos e livros infantis. Tipo, minha memória não me deixa lembrar com clareza, mas ou ela era pedófila, ou era psicóloga infantil. A lógica me faz crer que não era a primeira opção, visto que ela era amiga da minha mãe, e que eu estava naquele quartinho cheio de cubos de madeira,material dourado, livros coloridos e uma mesa de escritório com conhecimento da minha mãe, enquanto ela conversava na cozinha com a tal amiga.

Depois de brincar com os trenzinhos, os cubos, as peças de encaixar, os Legos e tudo o mais, a serzinha de então 8 pra 9 anos, decidiu ler. A última opção na sala de brinquedos.

Sentei no chão, peguei ESTE livro e abri.

Me lembro como se fosse hoje do susto que tomei. O mundo inteiro parou, e foi a primeira vez na vida que senti aquele misto de empolgação, medo, susto e  repugnância de uma vez só… mais ou menos o mesmo que a gente sente na primeira vez em que pega no… “membro”… haohaouhoa… de um cara e vê  aquela coisa feia, esquisita, totalmente alheia e sabe, SENTE, no fundo do coração, que aquele estranho objeto vai, infelizmente, fazer parte de nossas vidas para sempre…

Na primeira página, achei bonitinho, me lembro. Parecia com todos os outros livros que eu já tinha lido ali. Até virar a página e ver que o casal estava, de repente, pelado, e que ele tinha um boneco Gonzo pendurado no lugar da perereca.

E que o Gonzo tinha vida própria. Se transformava num “gancho-para-casacos-molhados” animado e, muito deliberadamente, entrava na coisa da mulher pra fazer algo que eu hoje reconheceria como o “bundalelê do carangueijinho”, em termos de ilustração do quão nonsense aquilo me pareceu.

Mais à frente, o cara deitava a mulher e, na figura seguinte, o “piupiu” – ôoo mente inocente – do cara, não feliz de já estar naquele lugar, enche um balão de festa na barriga dela.

A bizzarrice só ia aumentando: é DESSE balão de festa que nascem OS BEBÊS! Que viagem, cara! Os dois peladões, e um bebê dentro do balão rosa!

Quando eu achava que não podia ficar pior, descubro que a criança passaria pelo mesmo buraco que entrou. Fiquei estupefata, e nessa hora eu larguei o livro e olhei pra frente, pro nada, sabem?

Pensei um segundo comigo e processei: “Será que eu saí de lá assim?”,  me cheirei e comecei a sentir náuseas.

Nesse momento, minha mãe abriu a porta do quarto, pra me buscar, mepegando com a boca na butija. O sorriso no rosto dela desapareceu por completo qdo perguntei se ela sabia que o papai tinha posto o piru na perereca dela, e ela olhou pras minhas mãos e viu o tal livro.

Ela olhou de relance para a amiga, que fez cara de “paciência” – pq essa amiga era filha da puta, mesmo; não era a primeira vez que uma “coincidência” dessas acontecia na minha educação -, entrou no quarto e me arrancou de lá.

Eu não entendi nada,e tb não me lembro de mto papo sobre aquilo. Só sei que passei ANOS apavorada com a possibilidade do Reginaldo Rossi meter o bilau na minha margarida – haouahaoua – e ABOMINO homem com um pequeno MAPA DO BRASIL encaracolado no meio do peito. Puta merda.

Enfim.

Uma coisa interessante é que não tenho a menor idéia se o livro era em português ou alemão, mas entendi TUDO. Houaahuouao!

Gente, perdoem, os milhões de erros! Postei com Isabela no colo querendo ver “Iaiaô” no Youtube! Depois reviso direito!