Fim do Mundo, quer dizer, Fim de Ano taí!

Fim do Mundo Fim de Ano taí!


E eis que, depois do calor histérico de janeiro e fevereiro; das águas de março; dos chocolates de abril; do meu aniversário (ahouhahahaha) em maio, do frio, das canjicas e dos pula-fogueira-iaiás de junho e julho; de agosto, mês da minha filha, huhuh; dos feriados intermináveis de setembro, outubro e novembro… Chega o famigerado dezembro com força total! E chega com trilha sonora:

“JÁ É NATAL NA LEADER MAGAZINE…”

Dezembro é o mês mais arrebatador que tem. Ele já começa aloprando, filho da puta, queeeente de fritar ovo em placa de esgoto. Já começa com aquela sensação de que o mundo vai acabar – e não apenas o ano. E, de fato, é mais ou menos isso. Toda vez que saímos pra rua e tomamos aquele bafo quente na cara, temos a sensação que “de hoje não passa”.

Em dezembro a gente já começa de caneta e bloquinho em mãos. É o mês das listas.
Lista de Amigo Oculto: que hoje em dia é, na verdade, “Havaianas Ocultas”, ou “DVD Oculto”, ou “Trinta Reais Ocultos”. Me pego perguntando, às vezes, se não seria mais justo se nós todos colocássemos trinta pilas em um envelopinho e simplesmente trocássemos na confraternização. O grande barato não seria o presente – como já não é, tendo em vista que todo mundo já sabe o que vai ganhar -, e sim a cor do envelope. “Aaaaai, o meu é roxiiiiinho, do jeito que eu gosto! Brigada, Afonso!”
Lista de Presentes: “lembrancinhas” valendo uns 30 paus (sempre 30, o número da sorte de dezembro, parece), que, logicamente, encontramos no Saara ou na 25 de março por 8 reais, com muito custo, muita cara no sovaco de muito ambulante se matando nas lojas transbordando de gente suada – misericórdia, Senhor! É uma Via Crúcis. É a visão dos infernos. É absurdo. A gente compra uns 20 bagulhinhos ( porta-níqueis, agendinhas, canetas), uma porrada de tranqueira que, no final das contas, ninguém usa, todo mundo repassa pra frente e eu tenho a impressão que, de alguma forma, no final do ciclo de um ano, tudo volta pras mesmas prateleiras. É, tipo: eu ganho um porta níquel, agradeço com meu sorriso amarelo, digo que “amey!”, guardo e dou pra alguém cujo presente esqueci de comprar, essa pessoa faz o mesmo e, de alguma forma, um dos receptores deve ser o Afonso, dono da loja de muambas. Aí ele vende de novo. É a versão urbana do Ciclo sem Fim, do Rei Leão.

Lista de Presentes DOS FILHOS: essa é PIOR. Quando chega novembro, a gente já fica ligada nas propagandas que fazem os pequenos pararem de andar de bicicleta pela sala pra prestar atenção. O que não são poucas. Moon Sand, Little Mommy, Barbies mil, Parque aquático da Polly… É, eu só presto atenção em coisas de menina, pq a minha filha é menina, né… Hhaouahuah! Mas pra meninos tem a mesma quantidade de tranqueira. Enfim, é um efeito engraçado – pra não dizer filho de uma puta, pq devia ser limitado o numero de propagandas, e não uma lavagem cerebral que cria pequenos consumistas -, ver que, do nada, eles param de brincar por trinta segundos, vêem a propaganda e imediatamente gritam “MÃE, EU QUERO!” ou “MÃE, VC COMPRA?”. No resto do ano a gente tenta explicar pra eles que ninguém peida dinheiro, mas em novembro e dezembro a gente troca o discurso: “PEDE PRO PAPAI NOEL”. Na vã esperança que eles escolham uma única coisa. O que nunca fazem.

Minha filha entrou dezembro me pedindo umas duas mil e quatrocentas coisas e eu só faltei arrancar meus pentelhos de um por um pra escolher o que ela realmente queria. Como malandro é malandro e mané é mané, levei ela no Papai Noel e disse pra ele perguntar o que ela queria e me contar depois. Huhuhuhuh. Fica a dica. Ou então manda pedir pro Tio Afonso, já que ele tem uma loja de muamba.
Lista de Compras pra Ceia: essa é foda. Começa com a pergunta clássica – quem vem pra ceia? E aí a gente conta as pessoas:

Mãe 1

Pai 2

Mano Maurício 3 4 5

Prima Gorda 6 7 *

Prima Magra 7 e 1/5

Prima Fashion 8 e 1/5

Primo Gay 9

Primos crianças 10

Tio Afonso 11 *

Tio Carlão 12 13 *
E, como vocês podem ver, a lista acima tem 13 pessoas. E os asteriscos, que marcam os que bebem pra cacete. Daí, só quando a gente sabe quem vai vir, é que a lista de compras é feita.
Peru ou Galinhão (Chester)

Pernil

Tender

Fios de Ovos – No extra

Nozes nas Casas Pedro

Castanhas Portuguesas

Passas

Cerejas ao marrasquino

Abacaxi em calda

Pêssego em calda

Pão de rabanada

Figo em calda

Seis quilos de açucar

Milhares de latinhas de cerveja

Lentilha pro ano novo

Bacalhau

Panetones

Azeitonas pretas

E por aí vai. A compra de dezembro vem ENORME e caríssima. Infelizmente a gente esquece que existe um mês inteiro até lá, e a compra do mês em si fica meio capenga… Portanto, durante metade do mês, ao invés de comer pão com queijo no café da manhã, a gente acaba comendo… Panetone com margarina ou pêssegos em calda com creme de leite…

E, enfim, chega o dia 23. Eu já escrevi sobre isso aqui e é redundante, mas eu preciso mencionar: a ceia só existe pra deixar as mulheres MALUCAS. Só pra isso. Pq dia 24 de noite, a gente tá o pó da rabiola. Depois de dois dias na cozinha ininterruptamente, qualquer semelhança com Ingrid Betancourt saindo do cativeiro NÃO é merda coincidência.

Mas tudo bem!!! Tudo bem, porque pelo menos na sua cozinha não tá tocando Então é Natal, da Simone! Como tá em todas as lojas Americanas do Brasil a partir do dia 15 de dezembro!

E tudo bem também porque a mesma comida servirá para o dia 25 e 26, se vc tiver feito as contas certas… Hahahahaouhaouha! Dois dias de arroz a grega no microondas e salpicão de chester!

E depois a gente não sabe pq no ano-novo a gente SEMPRE tá redonda.

Oh, céus.

Cansei.

Bjofui!

Anúncios