Pequeno Diálogo de Casal

Desafio vocês a descobrir quais falas são do homem e quais são da mulher.

” – Amor, tenho uma proposta pro nosso presente de Natal.”

“- Hum, qual?”

“- Eu dou pra você e você dá pra mim um microondas!”

“- Como assim, a gente vai ficar com dois???”

“- Não, coração… Eu dou metade do valor e você dá outra metade. O que você acha?”

“- Péssima idéia. Um microondas é totalmente supérfluo. Aumenta o consumo de energia, a conta de luz, faz mal pra saúd…”

“- FELADAPUTA!!!!!!! Você fala isso pq não é você quem lava uma panela a cada vez que tem que esquentar comida, cacete!”

Dá pra descobrir???

Eu joguei uma merda de uma panela DE PRESSÃO no LIXO semana passada pq fazia UM MÊS E MEIO que ela estava no meu forno e, desde o terceiro dia, eu não queria abrir com medo do cheiro. E a merda da panela de pressão só estava suja porque eu não tinha mais ONDE esquentar uma merda de uma sopa, todas as outras panelas estavam ocupadas.

Agora, se eu tivesse microondas, isso teria acontecido????????

NÃO.

E ele vem me falar de POUPAR LUZ????????????????????? Ele acha o que, que eu vou ligar o microondas quantas horas por dia????

Ah, inferno!

Anúncios

Algumas Considerações Sabadísticas (só porque hoje é sábado, mesmo)

– Não agüento esse calor filho da puta. Isso é temperatura pra CORNO. Puta merda. Corno e inseto.

– Pringles é algo que deveria ser banido da face do planeta. Pringles e Bis. Fui nas Americanas hj e, numa tentativa de amenizar a quantidade das duas coisas em nosso mundinho, comprei 2 saquinhos de mini Bis e 1 potão de Pringles. Oh, shit.

– Foi só terminar de vez tudo de Harry Potter que eu parei de sonhar com Hogwarts. De ontem pra hoje sonhei que Marido estava me traindo. Com uma mulher chamada Rachel. Com ch, “Rêitchel”, mesmo. Sonhei que era corna. Deve ser o calor.

– Estou vendo Latin American Idol, Jon Secada na tela. Era melhor, pra ela, a época em que internet não era difundida e menos ainda TV a cabo… Eu achava que ele era gato, qdo eu tinha 11 anos, morava em Angra dos Reis, não tinha computador e as únicas fotos que eu tinha visto do pobre eram da capinha do cd… Papá, ¡ te pasaste p’a feo!

 

Ai, fui!

Querido Diário;

Ontem foi um dia interessante. Parece que alguém poderoso lá em cima acordou e pensou: “Hoje eu vou sacanear essa menina! Hahaha! Hoje ela me paga por ter que salvá-la tantas e tantas vezes de carros, penhascos, assaltantes, malucos… Hahahaha! Vamos começar!”

E aí começou.

Eu estava com sono de manhã, querido Diário; isso é normal. Eu vesti Isabela, arrumei a mochila dela, coloquei meu maiô (é uma derrota falar MAIÔ, né?) de treino, arrumei minha bolsa pra natação, coloquei um chinelo, chamei Isabela, peguei as chaves, apaguei as luzes, peguei minha bolsa e saí.

Quando apertei o botão do elevador, notei que minha filhinha, de três anos, olhava pra mim com uma expressão estranha. Me deu uma mescla de ternura e compaixão, quase derreti ali!

Agachei e perguntei, toda amorosa:

“- Que foi, meu amor?! Por que vc está olhando assim pra mamãe?”

E ela me respondeu:

“- Mamãe… Gucê vai de maiô na rúuuuuua???”

Olhei pra mim mesma e sim, eu estava de maiô. Maiô, bolsa e havaianas. GRAZADEUS eu estava com minha filha, pq, se fosse sem ela, eu só teria percebido o erro ao passar pelo porteiro. Deus é mais. Deus é dez. Deus deve ter dado umas boas gargalhadas.

Entrei, me vesti e saímos de novo.

Deixei a cria na salinha dela e segui para a natação.

Aqueci, pulei que nem uma corna perneta, alonguei mais que o ET do Panamá, estiquei os braços pra trás, pra cima, pros lados… Agachei e estiquei as pernas, mudei de posição, alonguei, alonguei…

Tomei uma chuveirada, caí na piscina, nadei, nadei, nadei, nadei… Cheguei na Nicarágua nadando, se for contar a “kilometragem” da coisa. Nadei mais que refugiado cubano chegando em Miami, imaginando o Jon Secada e a Glória Stefan e todos aqueles conterrâneos que se deram bem.

Daí, querido Diário, como eu faltei segunda-feira, eu decidi, assim, do nada, emendar na aula de hidroginástica dos velhinhos, pra dar uma turbinada no exercício. Pq merda pouca é bobagem.

Vc já fez hidroginástica, querido Diário? Não, né? Claro, vc não passa de um caderno de papel.

Tem uns exercícios bizarros, Q.D…. BIZAAAAAAAARROS…

Se imagine deitado flutuando apoiado num espaguete preso nos seus sovacos, fazendo movimentos de abre e fecha com as pernas retas, para as laterais. Imaginou? Pois saiba, Q.D., que na prática é muito mais difícil do que nessa imagenzinha mental furreca que vc fez da cena.  Não sei como os velhinhos fazem isso e ficam no lugar. Pq, quando eu fui tentar, o resultado foi que eu parecia um girocóptero desgovernado pronto pra atacar sexualmente qualquer velhinho que entrasse na minha frente. Eu não consegui fazer UM exercício parada; eu flutuei desgovernada em TODOS.

E eu terminei a aula, querido Diário. E saí da piscina, e alonguei horrores.

E cheguei no vestiário cheio de velhinhas pós-hidroginástica. E tirei a toalha que me envolvia. E abaixei pra pegar minha bolsa. E ouvi de duas velhinhas, ao mesmo tempo:

“Meu amoooor, seu maiô está descosturado!!”

Porque velhinha nunca fala “furado”. Furo, pra elas, é algo diferente de “descosturado”. Pra mim, é tudo a mesma coisa.

Na prática, quando eu olhei minha bunda no espelho, eu vi que meu maiô estava era com um baita rombo no MEIO da bunda. Dando uma visão perfeita do meu rego pra quem quisesse ver. Imagina quem viu enquanto eu bancava o girocóptero, huh?

Oh, céus. Não sei se terei coragem de voltar lá.

Voltei pra casa, tuitei, cumpri com minhas obrigações de leiê: varri, lavei, arrumei (tudo meia boca, mas ninguém pode dizer que não fiz) e, pra finalizar, fui jogar o lixo na lixeira do corredor.

De calça jeans dobrada até o joelho, sutiã e saco cheio de lixo na mão eu estava; abri a porta, dei de cara com a vizinha centenária bipolar e evangélica que passa criolina na minha porta todo santo sábado, sabe Deus porque; dei olá; ela desceu os olhos pras minhas peitcholas; eu me liguei que tava sem camisa e, da mesma maneira que abri a porta, fechei. Na mesma posição. Sem nem piscar um olho.

Linda, a terceira bola fora do dia.

Aí desci, fui na farmácia  e, me expliquem, POR QUE DIABOS os atendentes ainda olham FEIO toda vez que vc vai pagar uma caixinha de OB SUPER? Caralho, é de sacanagem???? Não é possível que em pleno 2009 nego ainda olhe uma caixinha de absorvente interno com cara de “ih, essa é arrombada!”! Porra! Que merda!

(E alguém me explica o motivo de eu SEMPRE explicar, enquanto passo o cartão, que “hehe, é que meu fluxo é muito intenso…”??????

Realmente. Eu sou daquelas que explica as coisas tentando melhorar as situações. Besta, eu, pq é mais que sabido que pisar na merda, só espalha.)

Mas meu Djízâs, alguém explica pros balconistas de farmácia que o tamanho do OB não tem NADA a ver com o tamanho da piriquita, mas sim com a capacidade de absorção??? Não que eu esteja ligando pro que pensam do tamanho da minha periguete junior, afinal, hehe, baby, tem umas coisas que não tem nem o que dizer, claro; mas me incomoda profundamente a ignorância dos caras. Porra. De repente faz todo o sentido do mundo a Carol Gretchen fazer o “Fiz Pornô mas Sou Virgem”ou algo assim – tem gente que REALMENTE tem uns fios trocados lá dentro da caixola e inverte umas informações vitais, cara. Sério. As mesmas pessoas que acreditam que OB define tamanho de xereca, certamente concordam com a idéia de que uma menina que já fez sexo anal em frente às câmeras continua virgem, contanto que nenhum pênis tenha penetrado a vagina. Ou um OB Super.

Depois disso, estava sentada no pátio da escola, esperando a hora de pegar minha filha. Sem lente e sem óculos. Sou míope como uma porta, by the way.

Eis que me chega um professor beeeem jovem, lá de longe, e começa a apontar e a dizer que conhece meu irmão, que me conhece desde pequena e blablablá… E eu respondendo, amarradíssima; convencida de que ele devia ser algum amigo de infância que eu só não reconhecera pq estava longe e eu não estava enxergando… Até me dar conta que ele estava falando com a menina da frente. O que fazia muito mais sentido, claro. Era muito mais normal ele conhecer desde pequena uma menina de 12 do que uma mulher de 27; afinal, se o cara tinha 23 era muito.

Morri de vergonha o resto da tarde, peguei minha filha, vim pra casa e cavei um buraco nos travesseiros pra enfiar minha cara.

Ai, querido Diário! Que dia vergonhosamente deplorável!

Tomara que amanhã seja melhor.

Um beijo.

Carol.

Pérolas de uma Pequena Tratante

Vc tem filhos? Não?

Pois bem, se não tem, fique sabendo que as pérolas que os filhotes soltam lá pelos dois anos são mais engraçadas do que muito stand-up comedy por aí. E de GRAÇA para os pais. Hhahahoaahahah!

Se vc TEM filhos, vc já sabe disso.

Anyway.

Vou postar algumas aqui, especialmente pro Natan e pra Raabe – Hashnaka Hushnoka Huck Seinfeld Salim Malin Estrela de Davi! Saudações! (Pô, Natan, me ensina aí, cara! Tô falando “judeu” que nem eu falo francês, cara – Pois eiffel soutien champagne abajour leblon petit bon jour rouge). Será que eles se empolgam?

____

Isabela foi na cozinha e fez um escarcéu. Dei bronca, conversei, sentei ela aqui na mesa do pc e conversei olhando nos olhos, disse que não pode, que depois tem que arrumar, que é um trabalho enorme e blablablá.

Qdo terminei de falar, permaneci com os olhos GRUDADOS nos dela. Pq ela não desvia o olhar nem por um segundo, e, se eu desvio antes, ela simplesmente sai e volta pra fazer exatamente o que tava fazendo, a salafrária.

Então, dessa vez ganhei. Foram uns 50 segundos mudas, olhando nos olhos.

De repente, do nada, ela faz a cara mais genuína de “só lamento”, dando de ombros, e solta:

“- Meu pai adora eu.”

Posso?

*

O telefone tocou, Isabela atendeu, era meu irmão.

Ela conversou, conversou, o “trivial”: “Oi, é quem? Onde c tá? GUCÊ vai vir aqui? Minha mãe tá na cozinha fazendo papá gotoso pra mim. Pabo Déix (Pablo Andrés) tá ki. PABO DEEEEEEEEÉIX!”, e passou pro Pablo.

Eles falaram, desligaram, ela viu desenho. Após uns minutos, o telefone toca de novo.

Depois de um arranca-rabo pra tirar o telefone da minha mão, pq ela queria pq queria atender, ela colocou o fone no ouvido.

“- Alô? É quem? … DE NOVO??????”

haouhahouahoauhaouhoauhouahouahOUAHOUAHO

UHAOUHAOUAHOUHAOUHAOUHAOUHAOUHAOUHAOUH

Preciso explicar que era meu irmão?

*
Ela tinha uns 2 aninhos, nessa.

Eu estava na sala, sentada no chão, com as pernas esticadas pra frente, vendo tv. Ela junto comigo, sem ficar quieta um segundo. Em pé pra lá e pra cá, pra lá e pra cá… Subia na minha perna, que estava no chão, e ficava enfiando os dedinhos pra ficar na ponta do pé, sabe?

“- Isabela, desce que vc está machucando.”

Uma vez, nada.

Duas vezes, nada.

“- Isabela, desce, vc está machucando a mamãe!”

Cinco vezes, nada.

“- Isabela, desce, senão vc vai pro castigo.”

Não desceu, coloquei de castigo.

( ela vai pro quarto, senta na cama e fica: “Mãe, já posso sair? Mãe, já posso sair? Mãe, já posso sair?”, quinhentas mil vezes até eu deixar sair, o que geralmente acontece dois minutos depois)

Beleza.

Passou, e já era de noite. E eu tava exatamente na mesma posição e no mesmo lugar vendo novela.

Ela veio de mansinho, me abraçou, me beijou, ficou fazendo mil carinhos…

… e disse, tooooda carinhosa, esfregando a bochecha na minha bochecha, segurando meu rosto com as duas mãozinhas:

“- Mãe, quero castigo…”

=S

Meu coração morreu de culpa. Só faltei morrer de arrependimento!

“- Mas por quê, minha filha, por que você quer castigo, meu amor??? Você não fez nada!!!!!”

E ela, ainda segurando meu rosto com as duas mãozinhas, disse:

“- Não, mas eu vou subir na sua perna.”

Eu agüento?

*
Eu fazendo bolo na cozinha, ela quis “ajudar”. Mas, como eu não tô com saco, disse que não podia.

Daí ela veio na sala, pegou uma cadeira, levou pra porta da cozinha, sentou e começou:

“- Mãe, já tá pronto? Mãe, já tá pronto? Mãe, já tá pronto?”, quinhentas vezes, como sempre.

“- Não, não, não, não.”

“- Ah, mãe, então eu vou dormir.”

Aí ela foi na sala, pegou outra cadeira, levou pra junto da primeira e encostou as duas, fazendo uma “caminha” na porta da cozinha. Deitou ali e disse:

“- Mamãe, cuida de mim?”, toda dengosa.

E aí eu me derreto, né?

“- Mas minha filha, cuidar de vc pq? Vc tá com dodói (qdo ela tá com febre ou dor ela pede pra eu cuidar dela)?”

Aí ela, sem se mexer, meio que se equilibrando, e sem “dengo” nenhum, grita:

“- Não, mãe, cuida de mim pq EU VOU CAIR!!!”

*

PelamordeDeus, como é que pode???

Isabela vem e coloca a mão na minha cara, no meu nariz.

“- Mãe, cheira minha mão!”

Eu cheirei. Não senti cheiro algum.

“- Onde vc colocou a mão, minha filha?”

E ela, morrendo de sono, rindo, com cara de filha da puta mirim, diz:

“- Na minha bunda!”

*
Papo meu com Isabela hoje:

“- Filha, vai pro banheiro que a gente vai tomar banho.”

“- Não, mamãe, hoje eu não vou tomar banho, não.”

“- Como assim? Posso saber por que?”

“- Porque assim acaba a água do mundo.”

Todo santo dia, qdo ela pede pra brincar com água, eu meto essa. Que não pode pq assim acaba a água do mundo.

Hoje foi minha vez de ouvir, né?

*
(essa é da filha de uma amiga minha, a Fabi. Laura, a filha, é um espetáculo)
A Laura é muito observadora e vivia falando pra quem fosse:
– ai que sapato feio! não gostei.
– ai que boné sujo! precisa lavar.
– mas que cabelo colorido estranho!
qualquer coisa que ela visse e pensasse ela falava.
esses dias conversei com ela, falei que não podia sair por ai falando tudo que viesse à cabeça, as pessoas ficam tristes e ela DEPOIS EM CASA, pode falar para mim, que TEM COISAS QUE ELA PRECISA GUARDAR PRA ELA!

Ontem estávamos num aniversário de família e uma tia-avó dela chegou toda espetaculosa, cabelo cortado e tingido, cheia de blush e um primo meu começou a zoar, ela é brincalhona e aproveitaram. Foi quando a tia-avó disse:
– Vou perguntar para a Laurinha! Vocês estão é com ciúme, criança não mente. Laura, a vovó tá bonita???
e a Laura olhando bem pra ela e pra mim em seguida disse:
– TEM COISAS QUE PRECISO GUARDAR PRA MIM!!!

*
Isabela me vende tudo.

Do nada, começa a brincar de comidinha imaginária e vem perguntar se eu quero bolo, picolé…

Se eu digo que quero, ela coloca o bolo IMAGINÁRIO no pratinho IMAGINÁRIO, pega uma colher IMAGINÁRIA e me dá.

Assim que eu “pego” o prato, ela diz:

“- DOIS REAIS!”

(Doish reaish)

HAOUAUOUAHUAUOAU!

Um dia desses eu tava inspirada e zoei da cara dela:

“- Ô minha filha, vc não tem vergonha na sua cara não, sua salafrária? Vc está me vendendo este pedaço MINÚSCULO de bolo de COCÔ (era bolo de cocô, aquele dia. Tem dias que tudo é de cocô ou de xixi.) por dois reais?? Isso é um absurdo, vc acha que dinheiro dá em árvore?”, e por aí vai.

Morremos de rir e ela baixou pra 1 real.

Beleza.

Agora há pouco fomos na farmácia e ela se encantou por um kit com gloss e perfume da Mônica.

Olhou pro moço do balcão e disse:

“- Quanto é?”

O rapaz, que não esperava uma pentelha dessas sozinha no meio da loja perguntando o preço, falou meio rindo:

“- Onze reais”

Isabela (ai, meu Deus) colocou a mão na cintura e derramou as pitangas dela:

“- Absurdo isso, moço tio. Você não tem VIGUNHA não? Você é um salafálio, vc acha que minha mãe tem uma PLANTA DE DINHEIRO? ”

E o moço deu uma baita gargalhada, e todos da farmácia tb.

Isabela, MUITO séria, com os cabelos soltos, uniforme imundo e a mão esquerda na cintura, virou pra eles todos e disse:

“- Eu tô falando sério. Minha mãe não tem uma planta de dinheiro. NÃO ME RI. Não tô brincando, não ME RI.”

Gente… Surtei.

Eu ri MUITO.

*
Isabela. AGORA há pouco.

Foi no banheiro, abriu o armário, tirou um OB, foi na cozinha,pegou uma tigela redonda de gelatina azul que tava intacta… Enfiou o OB no meio, chegou na sala berrando:

“- PALABÉNS PA BUCÊEEEEEEEEEE!”

haoauououauoaauauuah

Geralmente,você é GUCÊ, mas no parabéns dela é BUCÊ… Nessa caso, só faltou o TA.

*
(Se não me dá vergonha postar isso no blog? Claro que dá. Mas vcs verão que é uma informação necessária.)
Eu no banheiro, agorinha. “Fazendo cocô”, pras pessoas meiguinhas, ou CAGANDO, mesmo, pros meus.

Toca o telefone.

Lógico, pq o telefone daqui tem um sensor que dispara assim que minha bunda encosta no vaso. Só pode.

Isabela, que tava de um quarto pro outro bagunçando roupas, saiu correndo pra atender.

E eu escutando, me apressando e me lavando pra correr pro telefone.

“- Ah, oi. Tudo bem, e gucê? Não…

…Minha mãe tá lavando a peleleca.

Saí correndo pra atender, qdo cheguei ela tava dando tchau e desligando..

Consegui pegar o telefone antes de encostar no gancho e GRAÇAS A DEUUUUSSS era Fabíola, minha amiga…

Que me diz:

“- Fala, maluca. Tava lavando a perereca?”

HAUOAUOAHUOAUOAUAUAUOA

Porra,imagina se fosse de banco, secretária de médico… Hozuouuoauoauoauhhashouh!

#chupaessamanga!

(e isso são ALGUMASSSS)
Vai dizer que não são impagáveis? Hahahahha!

Morde! Morde!

Casamento, filhos, e a gente sabe que a vida sexual vai ficando pra último plano. Não por falta de tesão ou porque “o fogo da paixão acaba” – acho ótimo quando escuto solteiros e sem filhos dizerem que “o lance é não deixar cair na rotina”. Houahauoa. Dou gargalhadas FEDERAIS por dentro, “não deixar cair na rotina”, HAOUAHUOAHUA! “Não deixar apagar o fogo”, HAOUHAUHUOHAUO… Eu só fico pensando, e tento guardar pra mim, pra não passar por chata: “Espera sua vez, meu amor, espera sua vez… E depois vem me contar…” – mas porque NÃO EXISTEM HUMANOS DE FERRO.

Na prática, o casamento é uma maratona tão grande que é FODA conciliar tudo de maneira que ainda sobre FÔLEGO e TEMPOOOO pra transar. Maridos acordam antes das seis, vão pro trabalho, passam o dia todo resolvendo pendengas, chegam exaustos e ainda têm que sentar na porra do internet banking pra pagar contas – no caso do meu, chega às 23h30, pq ainda tem faculdade. As mulheres, depois da maternidade, NÃO DORMEM, acordam duas, três, mil vezes por noite, as crias acordam antes das seis tb, berram, gritam, bagunçam tudo. Tem que fazer comida, dar banho, levar pra escola, voltar, colocar casa em ordem, trabalhar (dentro ou fora de casa), sair do trabalho, pegar filho no colégio, levar pra casa, fazer jantar, dar banho… Puta merda.

Não é o “fogo da paixão” que se apaga, colega, é o FOGO DA VIDA, mesmo. Quando marido e mulher terminam seus afazeres diários, estão os dois MORIBUNDOS na cama. Sem força pra mexer um dedo. Mortos de vontade de ter vontade de transar – eu sei que os casados e atribulados vão me entender.

Aí começam os fenômenos típicos do casamento.

VOu falar por mim.

Às vezes, eu tô tão cansada, mas tão cansada, que fico cantando meu marido por telepatia. Ali, os dois na cama, deitados, quase dormindo, eu não tenho coragem de me mexer. O cansaço é tanto, mas tanto, que a força perde pra ele. Eu até tento abrir a boca pra falar, mas a mandíbula não responde ao estímulo, o cérebro já não trabalha na construção de frases direito e, qdo eu consigo abrir a boca, sai um “vvv” e eu desisto.

Então fico tentando mandar mensagens telepáticas.

“Amooor… Amor, c tá me ouvindo? Que você esteja me ouvindo, que vc esteja me ouvindo… Vem cáaa! Dá um chega pra cáaaa!”

Mas ele não ouve e, depois de uns cinco minutos de tentativas, ouço um ronco dele e outro meu.

Ou seja, telepatia sexual não funciona.

Aí nóis parte pra tática que eu chamo de Tática da Boneca Inflável.

É quando o marido tá louuuco, pq homem tira energia sexual sabe Deus de onde, que eu não descubro; e vc tá ACABAAAADA depois do dia inteiro lutando com a filha que primeiro não queria tomar banho, depois não queria colocar a roupa, depois não queria ir pra escola, chegando lá não queria ficar e, no fim da tarde, não queria vir embora; não queria jantar pq tava com sono, não queria tomar banho pq tava com sono e, qdo vc colocou na cama, não queria dormir. Não há físico ou psicológico que funcione depois da maratona, gente. Por mais que vcs, que não têm filhos, possam estar pensando: “Affff, não trabalha fora, NÃO FAZ NADA O DIA INTEIRO e ainda reclama!”. Aaaaaaaah, moleque! Deixa estar, que o tempo é o melhor remédio e VAI CHEGAR A SUA VEZ! Se não for com filho, vai ser com mãe e pai bem velhinhos que vão depender de vcs qdo estiverem senis.

Mas então, voltando à tatica da Boneca Inflável, é quando vc entende que ele quer e precisa, mas não tem FUEL suficiente, então manda a célebre:

“Tá, a gente faz, você pode fazer o que quiser, mas eu não vou me mexer, tá?”

Lógico que no fim das contas vc se mexe e tal… mas a intenção é, realmente, ficar estática. Pq todos os músculos do corpo, a esta hora, estão pedindo arrego. Ou vcs acham que segurar um bichinho de 2/3 anos e 15/20 kg se sacodindo e berrando o dia todo é mole? Rapadura é doce, mas não é mole não, mané!

Ou então a terceira e última tática, que é a melhor. É a tática “PEGA NO TRANCO”. É quando vc tá tão esgotada, mas tão esgotada, que na verdade não teria forças nem pra dar um peido… quanto mais tesão e vontade de transar. Mas, como a vontade de ter vontade tá grande, você decide, em nome do bem maior que é o casamento, fazer uma forcinha e pegar no tranco.

É começar na moribundice total, com desejo quase zero – pq depois que esquenta a coisa flui muito bem!

O lance é esquentar.

Pois bem, aconteceu esses dias.

Estávamos, os dois, utilizando a técnica do pegar-no-tranco. Na verdade, o dia tinha sido tão cheio, mas tão cheio, que Isabela dormiu cedo – às 10 da noite ela estava capotada. E nós tb, claro, mas acontece que uma chance assim, de um tempo em paz pra colocar a vida sexual em dia, é tão, mas tão rara, que decidimos não deixar passar.

Os dois de banho tomado, aquela coisa RIDÍCULA, o cúmulo da previsibilidade – eu tenho certeza que quem tem filho pequeno vai entender. Cansaço MÓR, sono MÓR. Eu quase fiz a Boneca Inflável, mas agüentei firme, e comecei a fazer tudo direitinho.

Mas o meu cansaço era tanto que nem o pega-no-tranco tava adiantando – pra mim, né, pq homem, como eu já disse, tem uma facilidade tremenda de “ficar disposto”, se é que vcs me entendem.

Então eu comecei a viajar nas dicas de todas as revistas que eu já li em todos os consultórios de médicos na minha vida. Revistas Claudia, Marie Claire, Criativa, por aí vai.

Eu devia desconfiar, devia mesmoooo, que quem escreve essas revistas é gente solteira, só pode.

Juntei na minha cabeça todas as informações de todas as matérias tipo “69 dicas pra apimentar a vida sexual”, “Dez dicas que vão fazer vocês delirarem!”, “vença o cansaço e diga olá ao tesão” e, estudando rapidamente os pontos em comum de todas as matérias, vi que a única coisa que se repetia incessantemente em todas as revistas era a velha: “INVENTE COISAS NOVAS. Uma dança sensual, uma lingeria bacana, uma posição nova, um tapinha – entre quatro paredes vale tudo!”

Do jeito que eu tava, se eu levantasse pra fazer uma dança sensual, meu marido brocharia – nenhuma dança é sensual qdo a dançarina mete a cabeça na quina do criado-mudo porque dorme no meio do número.

Lingerie bacana não me pareceu bom, pq, bem, desde que eu despedi a empregada não sei onde estão minhas coisas, mesmo.

O tapinha já era clichê.

Foi quando, do nada, cheguei a uma conclusão maravilhosa pra “apimentar-a-vida-sexual-e-delirar-dizendo-olá-ao-tesão”.

“- ME MORDE!”

(Tenho que fazer um adendo aqui. Meu marido sempre me zoa pq eu tenho uma mania linda de exagerar.

Por exemplo, se ele come um pedaço do meu sanduíche, eu fico louca e berro “PORRA, VC COMEU METADE DA PARADA!”. Se eu quero mais bebida, eu peço um pouquinho, ele coloca duas gotas, eu digo “Só isso? Coloca mais, porra!”, e daí ele vai colocar a TERCEIRA GOTA, uma quantidade mínima, e eu, alucinada, berro “TÁ BOM, TÁ BOM! AAAAH, PORRA, AGORA VC ENTUÍU MEU COPO COM ESTA MERDA!”, e por aí vai. Adendo feito)

Marido não entendeu nada. No meio da bagaça, na posição mais velha de todos os tempos, se é que vcs me entendem, eu, quase dormindo, morta de sono e semi-apática, berro um ME MORDE com todas as letras.

Ele, meio desconfiado, meio com medo de que eu acabasse dormindo no meio do ato, decidiu acatar a ordem e tentou, todo delicado, me morder.

Acontece que eu, cá pra mim, tava viajando nas tais matérias de revistas, e as mordidas delicadas dele estavam me fazendo cócegas, ao invés de dar tesão.

“- ME MORDE, PORRA!”

Enfática que só eu.

Olhei a cara do marido e vi o que o desconfiado estava agora mais próxima de assustado; mas ele acatou.

E nada. Eu realmente tava quase dormindo.

E foi quase dormindo que eu fiquei repetindo que nem uma maluca, aos berros raivosos, “ME MORDE, CACETE! ME MORDE, CARALHO! MAIS FORTE!”

Da última vez em que olhei a cara do marido, ele já não parecia mais nem assustado. Ele estava com a expressão APAVORADA. Mas acatou a ordem.

Mas aí ele acabou transbordando a terceira gotinha da bebida.

“- AAAAAAAAAAI, CARALHO!!! DEVAGAAAAR, PORRA!!!! VC QUER ME ARRANCAR OS PEITOS, CACETE???? TÁ MALUCO??????”

Marido revoltou-se. Saiu de perto, deitou ao meu lado e mandou, em PÂNICO:

” – Eu não sei o que está acontecendo com você. Nunca vi você assim. Tava vendo a hora que vc ia gritar MORDE PRA ARRANCAR, PORRA. Eu hein, Deus me livre! Sai, credo, tô me sentindo em “Antes só do que mal casado””

Gente… Vcs já viram esse filme a que ele se referiu?

Assistam:

Nada a declarar.

P.S.: gente, não tive tempo de corrigir esse textículooo! Tô com pressa! Me avisem se houver mto erro de digitação!

hjaohohouahauhauohauohauohuaho

Dia bom. ¬¬

Sabe aqueles dias em que nada dá certo? Você acorda com alguma dor, briga com o marido, queima comida, derrama café na roupa, a filha impossível, mil coisas pra fazer, chove, tudo engarrafado, vc lembra, no meio do trânsito, que não colocou gasolina no carro, dá vontade de ir ao banheiro, vc fica quarenta minutos morrendo de dor de barriga até conseguir se livrar do engarrafamento, chega no trabalho e descobre que ligaram da loja que seu cheque voltou E QUE SEU CHEFE ATENDEU… Sabem?

Então, não aconteceu nada disso comigo hoje.

AHAOUAOUHAUOHOAHOHAUHAUHAO.

Portanto, é um dia bom.

Minha filha, de três aninhos, afogou uma boneca na privada, jogou bolo de cenoura pela sala toda, está borrifando a televisão com meu spray de água pra regar meu cactus (cacto?), que, por sinal, morreu de sede; roubou minha necessaire de maquiagem e pincelou a perna toda com corretivo – o que não me faz a menor diferença, pq é raríssimo eu usar maquiagem; o problema é que agora ela está parecendo um portador de vitiligo e esta merda é a prova d´água -, acordei às 5 da manhã com ela gritando MAMÃE em si bemol (não sei o que é bemol, mas achei lindo de escrever); estou EXAUSTA e tenho treino hoje, mas meus braços vão se “desatarrachar” do corpo a qualquer momento.

Dia bom!

Pra deixar tudo mais dramático, tô ouvindo isso:

E vou adicionar mais uma foto de rosto, pra desespero de meu querido leitor (a) “B”.

nARCISA2 007Versão sem dreads. Fazer o que se eu mando melhor de rosto que de corpo, gente? Postar foto do meu culote, sei lá?

Hahouahaouauohauohao!

Bjocas!

Pensamentos Noturnos

AHahoauhaouah! Vão achar que se trata de sexo.

Que nada.

Dormindo desde as oito, deu duas e acordei… Vai sair algo que preste? C acha, honey?

“Tá. Quando der duas e meia eu durmo.”

“Fome da poooorra! #fatpridefeelings”

(ao abrir a geladeira pra comer alguma coisa)

“Caralho, tenho que tirar esse feijão daí. Ele está criando raízes.”

“Duzentos gramas de queijo branco são absolutamente diferentes de duzentos gramas de queijo prato fatiado. O branco rende MUITO menos.”

(lembrando de uma panela de pressão fechada com um estrogonofe que fiz há uns VINTE DIAS, que não tive coragem de abrir pra lavar e escondi lá no banheiro de empregada)

“Puta merda! A panela… Ela, sim, deve ter criado raízes e estar enorme e frondosa como um bouganville”

“Ish! Duas e meia! Tá. Qdo der tês em ponto eu durmo.”

“Bouganville é bem nominho de condomínio em Pendotiba, Itaipu… Ou de prédio novo no Jardim Icaraí.”

“Ih. @leojaime vai “jantar”

“Ish! Três e onze! Quando der três e meia eu durmo.”

“Que será que aconteceu com aquelas lésbicas do T.A.T.U.?”

“Ih! Três e meia! Vou. Pq às quatro Isabela acorda.”