O Outro Lado da Moeda

A Mari, do http://contosmamaepolvo.blogspot.com, é um dos meus maiores referenciais de estilo. Saquem:

É absurdo o quanto essa mulher sabe sobre moda, e mais absurdo ainda como ela monta e interpreta. Porque saber sobre moda, qualquer um pode saber, mas estilo é de cada um e não é todo mundo que tem.

Pois bem. A Mari trabalhou durante muito tempo em uma loja MEGA famosa de roupas. Marca cara bagaray, dessas que a gente desembolsa fácil 300 pila num vestido, sabem?

E olha o que ela comentou no último post:

“Carolzita, vou te dizer um outro lado agora. Vc sabe, não sou gorda, mas não sou magérrima, acho que me enquadro no padrão mulher brasileira, rs. Visto 40 em uma média(poucos 38 e alguns 42) e as modelagens estão cada vez menores. A grande MAIORIA das lojas eu visto G! Sim, G! E nesse último natal comprei 2 blusas GG!!
Trabalhei 10 anos em loja, sendo a última de “grife” por 6 anos e meio e esta dizia para nós gerentes com todas as letras que não fazia roupa grande e nem iria fazer pq não queria gordinhas vestidas com a marca dela. Eu amaaaava atender as foras dos padrões, pq estas qdo uma peça cabia e vestia bem comprava todas da loja! Era venda certa! Por isso sempre reclamei muito p/aumentarem as modelagens p/vender mais, mas a dona da loja dizia que preferia ficar sem vender do que uma roupa dela ficar desforme em alguma gordinha. Triste, mas faziam roupas p/magérrima, pq até as magras hj vestem tamanho grande!O mesmo para sapato. Diziam que sapato grande fica feio na mulher de pézão. Lembro até hj de um de piton que custava 700pilas e só veio até 37!  Se tivesse outros números maiores teria vendido muuito! Mas não… é chocante!
Bastidores de loja é isso aí! Eles poderiam, mas não querem!”

Entenderam agora o motivo pelo qual a gente não encontra nada que caiba nessas lojinhas mega prestigiadas de shopping??? ABSURDO, GENTE! Que porra é essa?!

Por motivos óbvios, não posso falar o nome da loja. Mas podemos fazer o contrário, divulgar nomes de lojas que NÃO seguem essa filosofia ridícula e estúpida e torcer pra que as donas dessas lojinhas de merda tenham vários problemas de tieróide e engordem toneladas, pra que sintam na pele como a gente – e mesmo gente nem tão gordinha assim – se sente. #gordinhavingativafeelings

Quem quiser deixar dicas de lojas boas e que não se enquadrem no padrão acima, vou achar o má-xi-mo!

bjofui

Anúncios

WordPress, wordpress…

… Se eu pudesse, te mandava pra casa do caralho, WordPress…

 

Mas que coisinha difícil, impossível, inviável, enrolada, pouco prática que é o WordPress. Eu tinha meu blogzinho todo bonitinho, simplezinho e facinho no Blogspot. Eu estava feliz lá. Eu conseguia lidar com aquilo. Eu conseguia postar links. Eu conseguia postar selos.

 

PORQUE DIABOS aceitei quando me propuseram vir pro WordPress? Por que??? POR QUEEEEEEEEEEE?

 

É essa coisa do ser humano nunca estar satisfeito com coisa nenhuma, no final. Ai.

 

Agora estou aqui. Não consigo trocar o tema. Não consigo colocar selo, nem gadgets ali dos lados. Não consigo nem colocar meu perfil bonitinho ali.

 

Meu Deus, me dá paciência, que o resto eu tenho.

SpectraBan Color Base (bloqueador solar) – Setinha Pra Baixo até Chegar ao Quinto dos Infernos

“- É base.

– É protetor.

– É base.

– É protetorrrrr.”

¬¬

Reconhece? Pois é. Desde que vi esta propaganda pela primeira vez, não tirava da minha cabecinha a idéia de comprar esse bendito protetor. Eu já precisava de um, porque chegou a idade de me tocar disso, e sol todo dia é foda, mesmo; mas tudo o que eu passava na cara me deixava absurdamente oleosa.

Até um dia em que tomei fôlego – sim, pra fazer essas coisas eu PRECISO de fôlego, sou muquirana demais pra dar mais que 15 reais em qualquer coisa -, pesquei uma caixinha na prateleira da Pacheco e arrematei meu tão sonhado É-Base-É-Protetor. R$ 30 que não voltarão nunca mais.

Deixando bem claro: moro no Rio. Nado, vcs sabem. Me locomovo o dia todo de bicicleta. Ou seja (repetindo tudo o que acabei de deixar escrito lá no MAKEUPalooza, pra Renata), suo como se estivesse fazendo sauna o tempo todo.

E sou oleosa. Ah, Deus, como sou oleosa. Por que me fizestes assim, ó Pai???? Acordo e, se eu conseguisse passar minhas pernas, pés e cotovelos no meu nariz, eu não precisaria de hidratante nas partes ásperas nunca mais. É óleo que não acaba NUNCA. Do tipo que, no sol, se eu jogar um ovo na minha cara, ele frita no estilo CROCANTE – fritura de imersão, manja?

Então eu tenho, EU TENHOOOO que entender que nem tudo o que o produto anuncia é verdade, gente… Por mais que eu tenha estudado essas estratégias na faculdade, por Dios, eu continuo acreditando que quando dizem OIL FREE é pq a parada não é oleosa. Haha. Até quando vou acreditar nisso, me contem???? Por que eu insisto em cair nessa balela antiquíssima???

Oil free… Oil free é alface, isso sim. E a não ser que eu passe alface na cara, nada que exista na face do planeta pode ser passado no meu rosto sem produzir óleo. Eu não sei como a Sadia ainda não me procurou pra engarrafar.

Enfim, fui pra casa. Hora de experimentar. Limpei o rosto, lavei direitinho, passei adstringente. E apliquei o SpectraBan com o dedo, tipo “tô me sentindo o máximo pq tô usando base!”.

Assim que uniformizei o filtro no rosto todo, a primeira constatação: um brilho FODIDO. No rosto TODO. Oil free é meu umbigo, caramba! MUITO oleoso, na minha humilde opinião!

A segunda constatação: “É, entendi coeh a da Base… Meu rosto todo tá como se eu tivesse com anemia. Mas uma anemia levinha, não severa… Uma anemia quase translúcida”. Aliás, TANSLÚCIDO, isso: me senti como se tivesse passado uma camada só de algum esmalte do tipo Renda ou Misturinha, sabem? Como não tenho a menor idéia do que é bom e o que é ruim em termos de base, não posso nem me dar ao luxo de tentar entender o que quer dizer a porcaria da cor, mas creio que, se a parada tivesse ficado intacta e sem brilho, eu teria gostado.

Nervosa, comecei a suar. Qual não foi minha surpresa ao reparar que, com o suor, o creme começou a escorrer – no melhor estilo Leite de Magnésia Phillips – e que menos de 10 minutos depois eu estava D-E-S-T-R-U-Í-D-A??!?

Li de novo o papelzinho e diz que tem que passar o protetor meia hora antes de sair de casa. Resolvi usar Tico e Teco e presumi que isso queria dizer que eu teria que ficar meia hora quieta, sem suar. Sentei em frente a um ventilador e fiquei berrando coisas pra minha filha enquanto a pocaria secava e, realmente, melhora. Parece que a pele tem que estar totalmente seca antes e depois do creme, sem suor, sem nada, por meia hora.

Mas, queridos. Me digam. Qual mãe de criança de 3 anos tem MEIA HORA pra ficar coçando os pentelhos de cara pra um ventilador enquanto o protetor solar seca? Eu, certamente, não.

NÃO COMPRO MAIS.

Vai ver que é exatamente isso o lance que a Renata Palooza estava falando qdo escreveu que o que é bom pra um, pode ser uma merda pra outro e vice-versa.

Garota esperta!