Belo Fim de Semana

Fim de semana meio frenético. Na verdade, nada de muito frenético, exceto as cagadas da pessoa que vos escreve. Explico.

Sexta-Feira. 22h.

Isabela se recusava a dormir. Então, a criatura aqui foi brincar (mais) com ela.

Dançamos pela casa, bagunçamos as gavetas, subimos e descemos as escadas, brincamos de susto, de boneca, de girar… E nada da pilha da bichinha acabar. Eu, com todos os ginsengs e pós de guaraná da vida e ainda tomando StressTabs, não agüento o pique da bebê, gente… Minha filha vai ser maratonista, só pode!

O golpe de misericórdia vem sempre quando eu fecho a porta do quarto e fico com ela lá dentro até que, eventualmente, ela canse e caia de sono. Não cansou fácil. Apelei. Brincar de bola dentro de um quarto onde mal cabem uma cama de casal e um berço… LÓGICO que não ia dar certo.

Depois de jogar milhões de vezes a bola de lá pra cá, ela (a bola) foi parar embaixo da cama. Claro. Nada mais previsível.

Tentei de todas as formas tirar a filha da puta de lá, mas ela estava num ponto tal em que nem meus braços, nem minhas pernas, indo por qualquer lado, NADA alcançava a desgraçada. Como a Isabela não parava de gritar “báaaaabáaaaaa, baaaaabáaaaa!”, não tive escolha senão me enfiar lá.

Rastejando naquele carpete nojento debaixo da cama – como eu odeio o carpete desse apartamento, cara!!! ODEIO!!! -, fui entrando com calma. “Nossa, não tinha percebido que a cama era tão baixa!”, pensei comigo mesma, na hora em que meus peitos estavam bem embaixo da madeira da cama, espremidérrimos, quase cruzando o corpo em direção às costas. Mas fui, calma e vagarosamente, porque apressado come cru e todas essas merdas que a gente escuta. Entrei, alcancei a bola e a joguei pra fora da cama. Lindão, fiz a felicidade da Belinha. Ela foi correndo e a pegou, do lado oposto ao que eu estava, jogou-a por cima da cama, e a bola veio parar entre mim, o berço e a parede. Onde, evidentemente, em menos de vinte segundos Isabela estava também. Ela poderia simplesmente pegar a bola e sair dali, mas achou um brinquedo muito mais interessante.

Pausa pra voltar no tempo.

Na sexta de manhã, após tentar depilar a virilha com pinça – o que, só de lembrar, me causa calafrios no cu -, me surgiu um enorme, tremendo, monstruoso pentelho encravado BEM NA LINHA DO ELÁSTICO DA CALCINHA. Ótimo. Como um pirú brotando do nada, como um vulcão de dor sem piedade, aquela merda me infernizou o dia todo, desconfiei até de furúnculo (graças a meu Deus, não era). Conclusão: dei uma de Britney Spears, de Adriane Galisteu, de Juliana Paes, de tantas e tantas já conhecidas pelo esquema e não tive escolha; passei o dia sem calcinha. De vestido (comprido, que fique bem entendido) e sem calcinha. Me senti A LIVRE. Inclusive fui ao mercado, à padaria, ao parque. Confesso que é uma bosta, a sensação de liberdade é totalmente falsa; na primeira vez em que você abaixa pra pegar algo, o vestido “bufa” com o vento e o efeito cogumelo joga um arzinho filho da puta bem no tuín pics, o que te faz ter CERTEZA que todo mundo viu. Não, ninguém viu, mas definitivamente, cú não é feito pra ser uma coisa assim, livre, aos quatro ventos.

Anyway, devido ao puto pentelho encravado, eu tava com um desses vestidos-trapézio (que re-entraram na moda, sabem?) de usar com jeans, só que sem o jeans. Dentro de casa, CLARO, só Isabela e eu.

Voltando pro futuro.

Pois bem. Depois de atirar a bola, eu tentei sair dali. Mas a coisa complicou; meus peitos estavam totalmente espremidos entre o chão e a barra da cama, nossa, cama MUITO pesada, o que me fez, ao invés de sair, voltar pra dentro, pra conseguir respirar.

Então, na hora em que Isabela foi parar ali, entre a cama, a parede e minhas pernas, eu ainda não tinha saído, ainda tava embaixo da cama até a cintura. E, pela posição em que estávamos, eu não podia executar meu plano – que era levantar um pouquinho a cama com as costas e sair -, sob o risco da cama cair no pé dela, né. Então fiquei ali, sem saber o que fazer. Metade pra dentro, metade um grande rabo de baleia, pra fora da cama.

Puta merda. O desespero é algo incrível, mesmo; ele CHAMA mais merdas. Imaginem o ridículo da situação, eu gritando debaixo da cama: “Isabeeeeela, meu amor, sai daí, sai, pra mamãe poder levantar a cama!”, e nada.

E, puta que pariuuuu, justamente nesse momento ela TINHA que demonstrar que aprende as merdas que ensino pra ela, né? Ai…

Quando troco a fralda dela ou a tiro do banho, brinco horrooooooooooores com ela, mordo toooooooda, faço cócegas no bumbum e nas perninhas, mordoooooo aquela bundinhaaaaa lindaaaaaa (que tem uma pinta charmosérrima, a bem dizer! =]), brinco de “cadê a mamãe???”…

Então ali, justamente ali, justamente naquela hora, justamente enquanto eu tava na merda… Ela se ligou que eu também tinha uma bunda. Começou a fazer cócegas em mim e a morder minhas pernas, minha busanfa, MORREEEEEEENDO de rir quando eu me estribuchava lá embaixo. Puta merda. Puta merda.

Vejam bem minha situação: entalada embaixo da cama, busanfa do lado de fora, minha filha me fazendo cócegas na bunda e se mijando de rir da minha situação. Meus cacetes. Quanto mais eu pedia pra ela parar, mais ela ria, mais ela fazia cócegas e apertava minha perna – exatamente como eu faço com ela! ´

Eu só conseguia imaginar a cara do Pablo quando entrasse no quarto e visse a cena. E ele chegaria em uns 20 minutos. Cacetões.

Bom, depois de ela rir horrores e eu comer umas toneladas de ácaros daquela merda de carpete, me ocorreu estender a mão pra fora da cama e pegar a bola, que tava ali do ladinho. Fiz isso e a joguei bem forte do outro lado. Fez barulho, quase derrubou a televisão, mas chamou a atenção da Isabela, que foi correndo pra lá.

Assim que vi aqueles pezinhos lá do outro lado do quarto, bem longe da cama, empurrei com uma “flexão” aquela madeira estúpida e saí. Quase morrendo de asma, espirrando, coçando a garganta como um porco bêbado e agora, com uma hematoma monstruoso nas costas, de tanto me estribuchar. Mas sobrevivi.

Vão dizer que não bolei A ESTRATÉGIA? Hum? Hum??? Quero ver se alguém bolaria algo melhor na situação de CÚ que eu estava! HOUAHOUAHUOHAUO!

O lado bom foi que enquanto eu me estribuchava lá, o pentelhão encravado era devidamente espremido pelo carpete. Argh. No outro dia tava bom. HOAHOUAUOHAUOHAUHUHAO.

Sábado. 19h

Fui pro Rio, pra festa da Luli, da Bianca, da Bebês de 2006. Lindo. Só tinha a família dela, e eu cheguei ANTES da aniversariante. Ai, que vergonha. Houahuahauohao!

A festa foi numa escolinha, e eu cheguei e já fui perguntando onde eu podia trocá-la. Uma prima da Bianca, muito educada, por sinal, me disse que no segundo andar havia um banheiro com um trocador. Mas eu, muito descolada e prática – ô mania filha da puta – olhei pro salão e vi que tinha um espaço com tatames, bem no meio dos convidados. Me auto-ofereci os tatames, né, “ai, posso trocar ali mesmo?”. A prima disse que “claro, ofereci lá em cima porque é mais cômodo, mas se você quiser trocar ali, fique à vontade!”.

Fui andando pros tatames, já esclarecendo:

“- É que eu não vou me arriscar a subir uma escada com ela, estabanada do jeito que eu sou, pra trocar uma fraldinha de xixi!”, disse, já a deitando e abrindo a fralda.

Tcharam. Surpresa.

O xixi era uma diarréia do umbigo até as costas. Mil caralhos sobrevoaram minha cabeça naquele momento. Desgraça pouca é bobagem, né? Já não bastasse o episódio da busanfa no dia anterior? Afff… Enfim, primeira vergonha em público. Não, não era vergonha por ser cocô, criança faz cocô. Era vergonha porque eu sujei os tatames, sujei o vestido da Isabela, sujei meu vestido e SUJEI A PRIMA!!! Com lenço umedecido sujo… BUÁAAAAAAAAAAAA!

Mas, ainda assim, e por mais nojenta que seja, essa não superou a segunda vergonha.

Isabela não toma refrigerante, então eu tava com um copo descartável cheio de Ades (Pêssego, me lembro como se fosse agora) na mão, e ia dando aos poucos.

Isabela cismou com um senhor tio da Bi, muito simpático. Ficava andando bem entre as mesas, brincando de esconde-esconde com ele. De repente, várias pessoas chegaram, e eu fui pegá-la, que ela podia ser pisoteada facilmente, haouhoahouaoha.

Lindão. Maravilhoso. Ai, meu Deus, “acerta-me com seu porrete”, como diz a Eubalena.

O quê que a Carol faz pra pegar a Isabela????

a) Coloca o copo na mesa e abaixa pra pegá-la
b) Coloca o copo no chão e abaixa pra pegá-la
c) Segura o copo com a boca e abaixa pra pegá-la.

Sim, se você respondeu C, você é dos meus. Desastrado e desatento, parabéns. Lógico, pq COMO você segura um copo descartável pela BORDINHA com os dentes e abaixa, do alto dos seus chinelos plataforma, pra levantar uma criança de 13 kg?

Agora, como vc pega um bebê que está em pé no chão?

a) Agacha, segura a criança e levanta
b) Com as pernas retas, abaixa só o tronco, estende os braços, faz um impulso e sobe a criança

Se você respondeu B, parabéns, é tão lerdo quanto eu.

Se você ainda não captou minha digníssima mensagem, eu vou mastigar pra ver se fica claro.

Quando você vai pegar um bebê e faz da maneira que eu descrevi em B, você vira tipo uma catapulta. E, segurando um copo cheio com os dentes, o líquido que está ali dentro é imediatamente impulsionado pra sua cara.

¬¬

Abaixei, peguei Isabela, e quando voltei, dizendo “uuuuupaaaaa!”, quase morri afogada. Um RIOOOO de Ades Pêssego adentrou meu nariz, atingiu meus olhos, meus cabelos, orelhas, colo, vestido. Bem no MEIO do salão. A família da Bianca INTEIRA vendo.

Que vergonha.

O pior é que, durante alguns segundos, você não entende o que está acontecendo; “que isso, que isso, tão jogando suco em mim!!!!!!!!”. Sim, porque a ÚLTIMA coisa que seu cérebro vai admitir é que você seja burra a ponto de jogar 300ml de suco na própria cara. Afff. Ainda fiquei com aquela ardência no nariz, tipo quando você tem oito anos e respira água na piscina, sabe? Arre égua, ninguém merece. ¬¬

Domingo. 13h

Depois da belíssima diarréia da festa, o troço continuou, tadinha, saoltou vários peidos molhados o dia todo.

Lá pelas 13h, fui trocar a fralda e havia, na diarréia, um mar VERMELHO. Apavorada, avisei ao meu marido que Isabela tinha feito cocô com sangue e a meu pai. Saímos correndo pro hospital: filho é FODA, você SE FODEEEEE, SE MATTTTTAAAA, mas não quer nem saber, é por eles e nada mais.

Chegando lá, a médica olha a fralda – sim, eu levei a fralda cagada – e pergunta o que Isabela comeu.

Comecei a dizer, quando Pablo me interrompeu.

” – Puta la wea*, não falei que você tinha que cozinhar a gelatina?”

Explicando: de manhã, ela não aceitou o soro caseiro de jeito nenhum. Na esperança de imitar Pedialyte, coloquei, na mamadeira de soro, pó de gelatina de morango. Pablo passou o dia inteiro me dizendo que a gelatina tinha que levar água fervendo por algum motivo, que não podia dar “crua”.

Preciso explicar mais????

¬¬

Que mico.

Acabou????

Nãaaaaaaaaaaaaaao!

Meu pai tem umas manias chatas. Ele é sério, mas faz umas brincadeiras sem graça, que só ele entende, com QUALQUER UM!

Nas ruas, de carro, passa pelos pontos de ônibus dando tchau pras pessoas. As pessoas, sem saber quem é, dão tchau de volta, imaginando que é algum conhecido.

Ai, cacete, não gosto nem de lembrar; certa vez, tava no ar uma novela de vampiros, na Globo, “O Beijo do Vampiro”, acho, e ele viu um, UM, UUUUM capítulo. Tinha alguém na novela que falava “bando de chupa-chupa”. Meu pai não pode ouvir essas frases, ele as grava na cabeça e fica repetindo por dias, semanas, meses… Qualquer cacofonia, qualquer expressão curiosa, ele repete, repete, repete, repete, apelida os outros, fala pros outros, AAAAAAAAI, É UM SACOOOOOOOOOO. Eu tinha um amigo que se chamava Luís. Meu pai cismava de chamá-lo de RE-LOLÔ. Não podia ver o Luís que começava a berrar, com voz de pombo, “Ó O RE LOLÔOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO, RÊ-LOLOOOOOÔ!”…

Então, voltando à novelinha do vampiro.

Naquela época, no meio da sessão de legumes das Sendas, ele pára, olha bem pro nada, e grita:

“- BAAAAAAAAAAAAANDO DE CHUPA-CHUPA!!!!!!!!!!!”, com sotaque espanhol, não me pergunte por que.

Agora vocês imaginem a cena, meu pai, um playobyzão grisalho de bermudinha, mocassim, camisa pólo, celular e carteira na mão, abrindo os braços e gritando isso. Afff.

Entre outras, ele tem mania de pedir descontos em estacionamento (de sacanagem, mas sempre pensam que é´sério e é um saco), pedir pizza de feijão em rodízios e coisas do gênero. Morro de vergonha. Foi comprar um óculos e, ao ouvir o orçamento, soltou: “Minha filha, eu quero UM par de óculos, não é meia dúzia, não.”

Putz, eu sofro.

Não foi menos pior na volta do hospital, quando ele tinha que parar e pedir Floratil na farmácia.

Ele anda repetindo algo como “trolimbola”, que ele ouviu em algum lugar. Fica chamando Isabela de “trolimbolinha”, olha os cachorros na rua e mostra pra ela: “Olha ali um trolimbola, isabela!”… Bem meu pai, mesmo.

Daí, na hora de pagar o remédio, ele, muito sério, pergunta pra caixa:

“- Aceita trolimbola?”

Puta que pariu futebol e regatas – *Ui, Thaty total, OUAOUHOUAHOUAHA – … A mulher entendeu “trolha e bola” e armou um barraco.

Em tempo: TROLHA aqui é um apelidinho carinhoso pra PIRÚ. Pirúuuuuuuuuuuuu.

Ai, meu Deus. Sem comentários.

Eeeeeei, vcs querem que eu poste mas não comentam, né??? Engraçadinhas. Houahouahouahuah!

COMENTEM! DEPOIS EU RESPONDO! AGORA TENHO QUE CORRER!

O texto não foi revisado pq tô com pressa, depois faço isso!

=*******

20 Comentários (+adicionar seu?)

  1. Dannielle
    nov 26, 2007 @ 15:48:00

    kkkkkkkkk demorou Carozita! Mas valeu a pena, e ó eu comento toda vez sim senhora viu!
    Bjus

    Responder

  2. Stella
    nov 26, 2007 @ 16:14:00

    KKKKKKKKKKKKKKKK Carol, Como vc consegue??? tô rindo muuuuuito!!!!! Beijos

    Responder

  3. anna.apv
    nov 26, 2007 @ 16:30:00

    Ades de pêssego entrando pelo nariz deve ser uma “dilícia”!

    Responder

  4. Anonymous
    nov 26, 2007 @ 17:52:00

    Simplesmente adoro,parece que vc ta falando de mim mesma kkkkkkkk
    Me identifico tanto com as suas situacoes……..
    Bom demais Carolzinha
    Sou sua fa…..No meu teclado nao tem acento nao entao vai sem mesmo

    Responder

  5. Patrícia Calina
    nov 26, 2007 @ 17:53:00

    kkkkkkkkkk q meleca Carol, devia ter filmado kkkkkk
    bjs!

    Responder

  6. Família Teixeira (Alê, Flá, Gigi e Mimi)
    nov 26, 2007 @ 21:19:00

    INACREDITÁVEL!!!

    Não, tô rindo muito! É muito mico pra uma pessoa só, kkkk, pede pra dividir com alguém!!!!

    E esse “pai-trolimbola” que vc tem???? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk Ri muito tb!

    Vc mora aonde? Se morar no RJ, quero um encontro JÁ contigo!

    Bjks!

    Flávia

    Responder

  7. Laura Lanna
    nov 26, 2007 @ 21:53:00

    Oi Carol, eu tenho um filho de 1a5m e ele tambem tem uma energia infindáveeeeeeeeel! No final de semana eu fico mais cansada do que depois de trabalhar a semana toda!!
    E tbm qdo to em casa tudo é mamama, não aceita o pai nem a babá!!
    Mas tá bom, é a coisa mais foooofa do mundo, e ainda quero mais um!
    E vc tbm quer mais?
    bjs

    Responder

  8. monica
    nov 26, 2007 @ 22:00:00

    Ei menina bonita eu comentei a dos velhinhos.
    Qto a esse ti pergunto:
    A Belinha ficou bem?
    Olha só vc mesmo menina é cada uma que é pior que duas heheheheh.
    Você tem assunto pra mais de metro hein?(como diz o mineiro).
    Adoro parece que suas dificuldades divertem o povo mas ,não é isso não,é que depois que a cena passa ,até a gente mesma acha graça da própria desgraça kkkkkkk

    Responder

  9. Roberta Moura
    nov 26, 2007 @ 22:27:00

    Caramba, Carol, você consegue se superar a cada post.
    Eu começo a ler e em pouco tempo já começo a me sacolejar de tanto rir.
    Cara, vc existe mesmo? Parece até um personagem.
    Essa do seu pai foi impagável (trolimbola – é isso mesmo?!)Tô rindo sozinha até agora. Bem se vê que a veia cômica é de família. Aguarde e verás a Belinha daqui a alguns anos…
    Sou leitora assídua, apesar de nem sempre comentar.
    Até mais

    Responder

  10. Daniela
    nov 27, 2007 @ 01:08:00

    kkkkkkkkkkkkkkkkk ai carol figura….rs…
    me matei de rir com os tatames embosteados… ja fiz algo bem parecido… kkkkkkkkkkkkkkkkkkk
    bj
    Dani da PR

    Responder

  11. Tati
    nov 27, 2007 @ 02:34:00

    Carol, sério, quase passei mal de tanto rir.(putz.. mas eu sou como teu pai-trolimbola…adoro isso)
    bjinhos Tati ( da PR) que tb comenta quase sempre

    Responder

  12. Yke Leon
    nov 27, 2007 @ 03:18:00

    Carol, gostei muito desse post novo !
    Só não gostei mais do post, do que do seu comentário no meu blog!
    hahaha Sabe como é, tô no início com essa coisa de blog, então os comentários me enchem de orgulho!
    Ok, pode linkar sim, fique a vontade! Divulgue tb, ele está pobrinho de divulgação.. hahahaha
    E depois dedica um tempo pra ler tudo e dar o seu parecer!

    Yke Leon, do: http://www.revolutear.blogspot.com

    Responder

  13. Si Tnk
    nov 27, 2007 @ 05:41:00

    Gelatina crua é foi foda hahahhahaha
    Tenho adorado ler aqui =)

    Responder

  14. ana
    nov 27, 2007 @ 12:24:00

    Katoka.. to rindo demais!!!

    Juro q só vc!! Como assim, abaixar com o copo cheio na boca, segurando pela borda??!!! Pensaaaaaaaaaa hahahaa imagino a cena!!
    Adorooooooo vc!
    Bjão

    Mais, mais, quero mais hahahhahah

    Responder

  15. Dannielle
    nov 27, 2007 @ 17:14:00

    Vale uma tapinh pra v se pega no tranco? rsrsrsrs brincadeira Carol, mas queremos mais!

    Responder

  16. Dannielle
    nov 27, 2007 @ 17:14:00

    Vale uma tapinh pra v se pega no tranco? rsrsrsrs brincadeira Carol, mas queremos mais!

    Responder

  17. Ale Papa
    nov 27, 2007 @ 22:28:00

    Puta merda td isso num final de semana só…

    UhauhauhauhA RI MUITO…não sei o que foi pior.. cara seu pai é foda, micão da porra, mas é seu pai né!

    Putz vc foi a festa da sua amiga do orkut só para causar estragos, hein! Coitada da prima…uhauhauhauha temos uma testemunha das peripécias da Carol agora…

    Pô bunda de fora entalada em baixo da cama ng merece, ainda bem que seu pai não entrou no quarto para ajudar a tromlimbolinha a te sacanear…kkkkkkkkkkkkk

    Responder

  18. Ale Papa
    nov 27, 2007 @ 22:28:00

    Puta merda td isso num final de semana só…

    UhauhauhauhA RI MUITO…não sei o que foi pior.. cara seu pai é foda, micão da porra, mas é seu pai né!

    Putz vc foi a festa da sua amiga do orkut só para causar estragos, hein! Coitada da prima…uhauhauhauha temos uma testemunha das peripécias da Carol agora…

    Pô bunda de fora entalada em baixo da cama ng merece, ainda bem que seu pai não entrou no quarto para ajudar a tromlimbolinha a te sacanear…kkkkkkkkkkkkk

    Responder

  19. Ale Papa
    nov 27, 2007 @ 22:28:00

    Puta merda td isso num final de semana só…

    UhauhauhauhA RI MUITO…não sei o que foi pior.. cara seu pai é foda, micão da porra, mas é seu pai né!

    Putz vc foi a festa da sua amiga do orkut só para causar estragos, hein! Coitada da prima…uhauhauhauha temos uma testemunha das peripécias da Carol agora…

    Pô bunda de fora entalada em baixo da cama ng merece, ainda bem que seu pai não entrou no quarto para ajudar a tromlimbolinha a te sacanear…kkkkkkkkkkkkk

    Responder

  20. Regiane
    nov 27, 2007 @ 23:03:00

    Huahuahua Carol, inacreditável as coisas que você passa!
    Quando você começou a contar da parte que estava embaixo da cama e a Belinha foi pra cima de você, que tava sem calcinha, eu juro que imaginei que ela ia puxar seus pentelhos… Depois é que entendi que você tava de bunda pra cima. É que ler e rolar de rir ao mesmo tempo pode ser meio confuso. Dá aquele desespero de saber o final da história, mas ao mesmo tempo o olho tá pequenininho quando a gente tá rindo… aí eu confundo tudo.
    Show!

    Responder

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: