>>>EMPADA COM PENTELHO


(texto trazido do fotolog)

Tipo, foi ontem, no Extra. Passei lá com meu pai antes de vir pra Angra. Comprar besteiras pros meus avós.

Como de praxe, a gente pára pra comer umas coisas na Rotisserie do supermercado. E dessa vez eu pedi empadinhas. Mini empadinhas. Quatro unidades.

Vieram num saquinho, eu comi uma, eca. Muito ruim. E, graças a Deus, antes de comer outra eu olhei pra dentro do saco.

Lá estava, meu povo. Um cabelo pixaim. Ou um pentelho, whatever.

Depois de regurgitar e conter meu vômito com um gole monstro de Fanta Uva, me dirigi lentamente à mulherzinha do caixa. Não disse nada, só mostrei o saquinho, com uma ânsia de vômito do caraleo.

A pergunta da mulher:

“- Isso já estava aqui quando vc comprou as empadas?”

Puta merda. Mil cacetinhos cravejados de diamantes.

Eu não respondi. Tentei levar na esportiva e tinha esperança de que ela pelo menos olhasse minha cabeça. O cabelo não podia ser meu, porra. Sem contar que tinha uns 8 cm no máximo, era PIXAIM, CARALHO!!!

Mas a mulher não pareceu satisfeita com minha cara de concha e esperava ainda uma resposta.

“- Não, querida. Eu coloquei aí esse cabelo…”, disse, rindo, com a ironia e sarcasmo que me são peculiares.

Mas como ela pareceu acreditar na minha história e não deu nenhum sorriso, fiquei com medo e me retratei:

“- É claro q estava aí quando eu comprei!!! Q pergunta… Até pq, minha querida, não sei se vc pôde reparar, mas esse cabelo não é meu”

Bem, era meio óbvio que aquilo ou era cabelo ou era pentelho. Eu tenho certeza absoluta que, fosse o que fosse, não era meu.

Mas a mulher simplesmente desceu o olhar até a altura de minha pelvis.

E naquele momento eu, sem acreditar no absurdo que estava escutando, soube que ela realmente pensava que podia ser um pentelho MEU!

“- Ah, tá. Então eu coloquei um pentelho na empada. Minha querida, faz seu trabalho, devolve meu dinheiro”
“- Não posso devolver, acabei de registrar”
“- E o que que eu tenho a ver com isso?”
“- Não sei, a senhora me apareceu aqui com um pelo num saquinho de empadas”- E a filha da puta realmente me botava a culpa. Perdi a paciência.

“- Olha, meu amorzinho, nem que eu quisesse muito eu ia conseguir fabricar, com meu corpo, um pentelho desses. Agora, por favor, eu tô com nojo, eu comi uma das empadas, ela tava junto desse cabelo nojento. E, se vc não quiser que eu me dirija agora ao seu superior, devolve meus R$ 1,70!”
“- Ah, foi R$ 1,70? Pensava que era o pedido de R$ 50. Um minuto só”

E me devolveu o dinheiro.

O pedido de R$ 50 era de uma senhora que estava esperando. Umas 60 empadas.

Eu recomendo estritamente que se alguém for convidado pra alguma festinha nos próximos dias, não coma empadas.