–> VC JÁ COMEU SAGÚ????

COMENTEM, BANDO DE SALAFRÁRIOS!!!

Texto velho do meu fotolog, merecidamente resgatado:

Eu sou uma menina boazinha. Não desejo mal a quase ninguém. Quase. Pq, meu irmão, eu desejo que o idiota que inventou o sagú MORRA.

Vcs conhecem sagú?
Já ouviram falar de sagú???
Ja viram sagú??
Já comeram sagú???

Se vc respondeu “não” a mais de uma das perguntas acima, tente continuar respondendo “não” pro resto da vida. Conselho.

Conselho, dizem, se fosse bom, ninguém dava. E eu digo: por isso q psicólogos e psiquiatras cobram.

Voltando ao sagú: bolinhas compostas de alguma coisa de mandioca. Engraçado, pq é a primeira coisa derivada de aipim que eu não gosto. Aipim é tudo, aipim é vida. Já mencionei aqui que eu acho que devia estar assegurado nos direitos humanos o direito de comer aipim. Aipim é iguaria dos deuses. E dos índios, mas, whatever.

O fato é que meu pai comprou duas caixinhas de “Sagú Yoki”. Um de framboesa, um de uva. Estavam no armário há umas 3 semanas. Não fiz pq, além de estar em uma dieta fudida, não fui muito com a cara das bolinhas.

Mas ontem meu pai perguntou pq eu não fiz o sagú pra ele. E hoje, eu, a melhor filha do mundo (uoaouhaouhaoha), fui fazer o sagú, de surpresa.

Pois bem. Uma caixinha, 2 saquinhos; um com 100g de bolinhas brancas, outro com uns 200g de açúcar colorido, cheio dos corantes.

“Jogue o sagú na água fervendo e mexa de vez em quando até as bolinhas começarem a ficar transparentes. Apague o fogo, adicione o conteúdo do outro pacote, misture bem, deixe esfriar e sirva”.

E, minha gente, eu joguei o sagu. E tive a nítida impressão de estar cozinhando isopor. Manja aquelas bolinhas de isopor mínimas? Igual. E fui mexendo.

Vendo que o troço ia demorar pra ficar transparente, vim ver TV. Vinte minutos depois volto e a situação já tinha mudado muito: as bolinhas continuavam brancas, mas, por ter ficado tanto tempo sem mexer, uma gosma branca aumentava na superfície tomando conta da panela.

Cara de nojo, colher de pau na mão, mexi. Desgrudei o que tava no fundo. E a gosma pareceu feliz por se misturar com todas as bolinhas.

Ao tirar a colher de pau de dentro da panela, lembrei subitamente de “Quem Vai Ficar com Mary?”, o filme. Uma gosma branca pendia pendurada na ponta da colher. Igualzinha à que pendia na orelha do ator lá, no filme… Ou seja, porra. Porra. Parece porra aquela porra.

Segurando o vômito, continuei mexendo as merdas das bolinhas, elas não tinham ficado transparentes ainda. E elas foram crescendo e se envolvendo pela gosma. E quando começaram a ficar transparentes, desliguei o fogo e taquei pó vermelho.

E aí… Eu tava em “Procurando Nemo”… Dez mil bolinhas semi-transparentes e vermelhinhas olhavam pra mim… Com um pontinho branquinho dentro… Foi a cena mais bucólica.

E, quando tava pronto, parecia caviar.

Eu nunca comi caviar. Sou pobre, nem comi nem tenho vontade. E pró-seco é a coisa mais horrível. Pobre, porém limpinha e honrada. De qualquer forma, é porra de peixe, não é??? Meu, é IDÊNTICO a caviar. Querem imitar caviar? faz esta porra, lasca sal e bota em cima de torrada. Ainda diz que é beluga. Na moral, metade das fotos q vc já viu na sua vida achando que era caviar, aposto que era sagú. Welcome to the real world, babe!!!

Eeeeenfim… Deslumbrada pelas coisinhas, fui provar. Maluco, q coisa ruim. Q coisa bizarra. Q coisa horrível. Q sabor horroroso. Q coisa apavorante. Bolinhas impalpáveis, vc não consegue mastigar pq parece q são elásticas. Elas grudam no seu aparelho, nos seus dentes, empacam na sua goela e fazem vc fazer barulho de velho gozando pra tirar. Um troço meio catarro, meio aquelas balinhas de goma imitando garrafinha de Coca-Cola, sabem? E pq diabos eu continuei comendo????

Respondo. Pq, além de ser doce, eu tava encantada com as bolinhas. Realmente me senti uma enguia comendo os irmãozinhos do Nemo.

Só q agora tô passando mal. Comi 3 colheres daquela porra de peixe e não consigo nem pensar, visualizar as bolinhas.

Só vejo “Procurando Nemo” de novo daqui a 2 anos. ¬¬

P.S.: De quando escrevi esse texto pra hj, já vi “Procurando Nemo” umas 3 vezes… uhaouhuoahouah… não adianta, esse filme é muito biitim… 🙂