A Merda do Desenho


Vou uploadear esta porra aqui só pq não tenho IDÉIA de como colocar estar BOSTA no perfil… Então seguirei as ordens.

Mariposas, as Descendentes Diretas do Capeta

Se fuder. Elas sabem. Eu sei que elas sabem. Eu SINTO que elas sabem. Elas sabem…

As mariposas. Mariposas filhas das éguas, mariposas dos infernos, mariposas desgraçadas… Como eu odeio mariposas…

Como a maioria dos meus conhecidos está ciente, eu tenho PÂNICO de mariposas. PÂNICO. Não tenho nojo. Tenho PÂNICO. E eu já escrevi um texto sobre isso, mas vou escrever de novo porque há uma filha da puta habitando meu quarto há 4 dias e eu estou ilhada no quarto do meu irmão.

Eu não tenho medo de insetos. Eu não os venero, é lógico, seria muito improvável que eu escolhesse dividir um quarto com eles. Mas eu também não me sinto prestes a mijar nas calças como sinto quando há uma mariposa perto. Eu simplesmente não funciono; é algo irracional que só quem já presenciou entende.

Barata, por exemplo, eu enfrento amarradona – desde que não seja voadora, porque aí nem Jesus Cristo, né? -, saio correndo atrás dela com o primeiro spray que eu encontro pela frente. Invariavelmente, são coisas de barbear do meu irmão e do meu pai. É lindo. Fica parecendo que nevou dentro de casa, hauohauohouahuoahuoa… Uma trilha branca que culmina com um Monte Everest em miniatura escondendo, embaixo dele, a barata. Imóvel, afogada em creme de barbear… auhuoahouahouhaoha… Mas inteira, porque matar com chinelo também não é minha praia.

A vez mais interessante foi quando eu tinha uns 15 anos… Estava no banheiro quando apareceu uma filha da puta gigante… Olhando pra mim. Pq isso é verdade, cara, elas ENCARAM, desafiam… Aquelas anteninhas brincam com o seu auto-controle… Mas ela não contava com a minha astúcia. Como uma boa roach-buster – haohouahuohaouhaouha- que sou, me aposseu do primeiro “shhhhhhh” que encontrei: um vidro de fixador de cabelo da minha mãe. Foi mágico. Foi lindo. Corri a casa inteira com aquela porra acertando a barata de tempos em tempos. Foi emocionante.

Uns 5 minutos após a perseguição começar, a barata foi ficando lenta. Cada vez mais lenta. E quanto mais lenta ela ficava, mais laquê eu acertava. Até a hora em que ela parou de se mexer.

Geralmente as baratas morrem de forma trágica e dramática: tentam fugir subindo a parede e, já zonzas pelo inseticida, caem no chão de barriga pra cima e mexem as perninhas num último suspiro de agonia. Até morrerem.

Mas essa do laquê… Ela simplesmente, enquanto corria pelo chão, foi ficando lenta, lenta… E parou. Simplesmente parou. E eu com medo de me aproximar e aquilo ser uma armadilha, né, pq estas porras fingem. Elas fingem estar mortas pra quando vc chegar perto levar um susto, elas fazem isso. Só que o tempo passou e ela não se mexeu. E eu fui começando a perceber… OUHAOUHAUOHAOUHAOUHAOUHAOUHAOUHAUO… Extasiada, me dei conta: o laquê foi deixando a barata dura… Por isso ela foi ficando lenta… Hauohuoahouhaouhaoa… E eventualmente, petrificou de vez… HAUOHOAUHUOAHUHA… Putz, agora, se laquê faz isso com baratas, imagina com o cabelo da minha mãe…

Bom, voltando ao assunto principal, com as mariposas eu não me meto. As pessoas insistem em me dizer que estas porras não fazem nada… Mentira. Como pode um bicho peludo, meio gordo, com este aspecto terrível, hostil, amaldiçoado, não fazer nada??? Eu acho que elas comem gente. E eu nunca vi mariposa se alimentar, por isso continuo acreditando nisso: eu nunca vi um cadáver, mas tenho certeza que, quando vir, terá zilhões de mariposas se alimentando.

E o modo como esta encarnação do Diabo voa… Caindo… Caindo de gorrrrda… E peluda… Traiçoeira, você nunca sabe pra onde ela vai… Ou melhor, sabe: vai bem pra sua cara, que é isso que elas fazem.

Aí eu fico pensando: as baratas têm um porquê de existir. Se não fossem elas, o mundo estaria enterrado no lixo, claro. Elas têm um papel nobre a desempenhar; alguém tem que fazer o serviço sujo. Eu entendo sua existência, entendo até sua resistência: no caso de uma explosão nuclear, alguém tem que dar conta dos mortos. Agora, as mariposas, por mais que eu pense, não adianta, eu não encontro nenhuma explicação científica pra existência dessas afilhadas do Capeta.

A única explicação lógica pra existência desses bichos é a minha tese: elas comem cadáveres.

Irrrc.

Vai dizer que não faz sentido?